Investimento directo de Angola alcança 41,5 milhões de euros

Abraão Gourgel, ministro da Economia (Foto: Angop)
Abraão Gourgel, ministro da Economia (Foto: Angop)
Abraão Gourgel, ministro da Economia
(Foto: Angop)

O investimento estrangeiro directo de Angola em Portugal alcançou, nos últimos dez anos, um valor médio de 41,5 milhões de euros, cifra que o ministro angolano da Economia, Abrahão Gourgel, considerou positiva.

Abrahão Gourgel, que falava, esta terça-feira, na abertura do I Fórum Empresarial Angola – Portugal, referiu que a captação de investimento estrangeiro directo surge como um factor importante na dinamização do crescimento da cooperação económica entre os dois países.

Realçou o facto do comércio entre Angola e Portugal revestir-se de grande importância para as pequenas e médias empresas portuguesas, sublinhando que o número de empresas portuguesas exportadoras para o mercado angolano se elevou no ano de 2013, para 6.401.

O governante apontou os sectores associados à actividade financeira, aos seguros, comércio a grosso, a retalho e a construção civil, como as principais áreas da presença de empresas portuguesas em Angola.

Segundo o governante, o processo de reconstrução nacional, o fomento da actividade comercial e a industrialização têm aberto portas para cooperação entre os dois países.

No âmbito do sector externo da economia, Abrahão Gourgel disse ter sido possível a recuperação das Reservas Internacionais Líquidas, que subiram de 12 milhões de dólares, no final de 2009, no auge da crise mundial, para níveis que actualmente permitem cobrir cerca de sete meses de importações.

Entre os vários programas governamentais em curso no país, o ministro angolano da economia destacou os programas do Sector Eléctrico, Nacional de Habitação, de Recuperação de Estradas e Caminhos-de-ferro.

Com o tema “Juntos na diversificação da economia, o encontro, com duração de um dia, visa promover as oportunidades de negócio em Angola e Portugal, bem como o estabelecimento e aprofundamento de parcerias entre empresas dos dois países.

Mais de nove mil empresas de Portugal exportam actualmente para Angola e cerca de duas mil, angolanas, são participadas por capital português.

Em 2013, as trocas comerciais entre os dois países ascenderam a sete mil milhões de euros. Deste total, 3,1 mil milhões de euros foram relativos à exportação de bens e 1,4 mil milhões de euros de serviços, em ambos os casos de Portugal para Angola.

A organização desta primeira edição do fórum instituído pelos dois países é da responsabilidade do Ministério da Economia de Angola, em colaboração com a embaixada de Portugal e da delegação da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) em Luanda.

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO CRIA OBSERVATORIO DE INVESTIMENTO

Um Observatório dos Investimentos entre Angola e Portugal foi criado, em Luanda, com base num memorando de entendimento rubricado entre os ministros angolano e português da Economia, respectivamente, Abrahão Gourgel e António Pires de Lima.

O Observatório dos investimentos angolanos em Portugal e portugueses em Angola vai monitorizar o comportamento das empresas, dos dois países, para as ajudar a desenvolver melhor os seus negócios e prevenir alguns erros que eventualmente ocorrem.

Uma das funções da nova instituição é o de acompanhar os processos de análise de candidaturas de investimento, identificar obstáculos e seleccionar vias ou instrumentos para ultrapassar os constrangimentos existentes.

A criação do Observatório insere-se no Fórum Empresarial Angola-Portugal que se realiza hoje, em Luanda, com a participação de pelo menos 600 empresários dos dois países, para discutir investimentos comuns.

Mais de nove mil empresas de Portugal exportam actualmente para Angola e cerca de duas mil angolanas são participadas por capitais portugueses. (Angop/Expansão)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA