Huíla: Pastores de diversas igrejas concluem graduação em liderança no Lubango

Benguela: Núncio apostólico, Dom Novatus Rugambua, celebra missa no Balombo (ANGOP)
Benguela: Núncio apostólico, Dom Novatus Rugambua, celebra missa no Balombo (ANGOP)
Benguela: Núncio apostólico, Dom Novatus Rugambua, celebra missa no Balombo (ANGOP)

Vinte e três líderes religiosos das províncias da Huíla, Namibe e Cunene concluíram hoje, sexta-feira, no Lubango, o curso de graduação avançada e licenciatura em liderança eclesiástica, promovido pelo Instituto Superior de Liderança (ISLA).

A acção formativa durou quatro anos e foi desenvolvida em parceria com a organização não-governamental sul-africana, denominada “Trading Liders Transforming Nations” (AFMIN).

Durante este período, os finalistas receberam aulas de 38 disciplinas, com destaque para administração da igreja, liderança 1 e 2, assuntos de liderança, matrimónio, ética e liderança, ministério de crianças e ministério de jovens.

Convidado a presidir a cerimónia de entrega de certificados, o director provincial da educação, Américo Chicote, considerou a graduação de líderes eclesiásticos de grande importância porque vai ajudar o governo no que concerne ao resgate dos valores cívicos, morais e culturais para uma Angola cada vez melhor.

Indicou que a igreja deve continuar a disseminar a palavra e o evangelho na comunidade, para que o respeito pela diferença seja, cada vez mais, um facto em prol do desenvolvimento do país.

“A Constituição da República de Angola consagra a liberdade de consciência, de religião e de culto. O Estado reconhece e respeita as diferentes confissões religiosas, que por esta via são livres na sua organização e no exercício das suas actividades, desde que se conformem com as leis estabelecidas no país”, disse.

Referiu ainda que, desde sempre, a igreja exerceu e continua a desenvolver a sua nobre tarefa, a de evangelizar, apaziguar os ânimos, acalmar os espíritos desviantes e transformar as consciências dos homens para um mundo que se pretende melhor para todos.

Presenciaram a actividade, autoridades administrativas, académicos, familiares e convidados.

A Direcção Provincial da Cultura controla 55 igrejas reconhecidas e 20 associações religiosas. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA