Huíla: Câmara de Terapeutas Naturistas apreende medicamentos falsos

DR. CATENGUE - DIRECTOR REGIONAL DA CAMARA PROFISSIONAL DOS TERAPEUTAS TRADICIONAIS (FOTO: JOSÉ KRISTHINAS)

Lubango – A Câmara Profissional dos Terapeutas de Medicina Tradicional, Natural, Alternativa e não Convencional em Angola apreendeu hoje, terça-feira, no mercado informal João de Almeida, quantidades de medicamentos tradicionais propensos a provocar intoxicação humana.

DR. CATENGUE - DIRECTOR REGIONAL DA CAMARA PROFISSIONAL DOS TERAPEUTAS TRADICIONAIS (FOTO: JOSÉ KRISTHINAS)
DR. CATENGUE – DIRECTOR REGIONAL DA CAMARA PROFISSIONAL DOS TERAPEUTAS TRADICIONAIS (FOTO: JOSÉ KRISTHINAS)

A informação foi hoje, terça-feira, prestada à Angop, no Lubango, pelo director regional da Câmara, Miguel Catengue, que considerou a apreensão dos medicamentos como resultado de denúncias de cidadãos dirigidas à Policia Nacional.

Miguel Catengue explicou que foram apreendidos falsos medicamentos supostamente oriundos de Cabinda com efeitos de fertilidade, potência sexual e para hepatite.

Disse que a operação enquadrou-se no programa de inspecção e cadastramento dos técnicos, visto que muitos têm realizado actividade de medicina sem as condições técnicas e humanas e autorização para o efeito, no sentido de se disciplinar este exercício em defesa da saúde humana.

De acordo com o especialista, ao longo do mês de Maio foram ainda detectados quatro médicos nos municípios da Cacula, Lubango e Chipindo, que indicavam ervas a doentes sem diagnóstico exacto da doença, o que originava a  intoxicação medicamentosa dos pacientes.

“ Temos uma equipa que mensalmente se desloca aos municípios, no âmbito do processo de cadastramento dos profissionais que exercem a actividade e foram detectados indivíduos que exerciam indevidamente a profissão, aplicando até fármacos convencionais, o que não é permitido pelo estado nem pela Câmara”, realçou.

O médico naturista informou ainda que a Câmara trabalha para que todos os profissionais sejam cadastrados, na perspectiva de se evitar que intrusos exerçam a actividade, manchando o nome de todos aqueles que exercem a actividade com responsabilidade e profissionalismo.

No quadro do programa de cadastramento dos terapeutas, Miguel Catengue esclareceu que três mil 800 médicos foram já cadastrados nas províncias da Huíla, Namibe e Cunene. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA