Huambo: Ministério do Interior tem cumprido cabalmente a sua missão

Governador do Huambo, Kundi Paihama, discursando no acto (Foto: Edilson Domingos)
Governador do Huambo, Kundi Paihama, discursando no acto (Foto: Edilson Domingos)
Governador do Huambo, Kundi Paihama, discursando no acto (Foto: Edilson Domingos)

O Ministério do Interior (Minint) tem cumprido cabalmente com a sua missão de garantir a segurança, integridade territorial, ordem interna e tranquilidade pública, assegurando, deste modo, o normal funcionamento das instituições do Estado.

O reconhecimento foi feito hoje, segunda-feira, na província do Huambo, pelo governador local, Kundi Paihama, no encerramento das actividades alusivas ao 36º aniversário deste Ministério, fundado a 22 de Junho de 1979.

Como órgão da administração central do Estado, segundo o governador da província do Huambo, o Minint tem sobre si muitas responsabilidades, essencialmente a coordenação e fiscalização das políticas públicas nos domínios da segurança pública, investigação e repressão dos actos que indicam crimes e transgressões de qualquer natureza.

Disse que a nova realidade jurídico-política do país faz com que o Minint assuma, com frontalidade, as missões que constituem sua vocação por excelência, onde o combate à criminalidade merece destaque.

Para o governador, a tarefa do Ministério do Interior exige, de cada um dos seus membros, o consentimento de sacrifícios e, acima de tudo, muito rigor profissional.

“Chamo atenção para redobrarem esforços, para que, com a técnica e meios disponíveis, possam ofuscar todas as tendências ligadas a existência de focos de caracter criminal”, apelou.

Kundi Paihama sublinhou que a actuação dos órgãos do Minint deve ser feita com autoridade, prudência e, acima de tudo, deontologia profissional e civismo, acautelando os excessos e arrogância.

Ainda hoje, na província, encerrou o 3º curso de ordem pública, promovido pelo Ministério do Interior, com a duração de 45 dias e agregando 1.331 agentes.

Ao intervir no acto de encerramento, presenciado pelo governador Kundi Paihama, o director da formação, inspector Vasconcelos Nguendangola, informou que 739 cidadãos que frequentaram os cursos, são provenientes do Exército, concretamente das regiões militares Norte, Centro e Sul.

Disse que ao longo do curso foram ministrados vários temas, entre os quais normas e continências militares, armamento e tiro policial, ordem unida, preparação física, tácticas das forças de segurança e lei dos crimes militares.

Também fizeram parte do programa de formação temas como criminalística, ética profissional, legislação rodoviária, direito penal e processual, regulamento e disciplina da polícia.

O inspector Vasconcelos Nguendangola fez saber que a acção formativa teve por objectivo aperfeiçoar e habilitar os recém-ingressados na Polícia Nacional e outros órgãos do Ministério do Interior, para corresponderem com eficiência os níveis das missões que lhes forem atribuídas.

Integram o Ministério do Interior, a Polícia Nacional, o Serviços Penitenciários, Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Serviços de Migração e Estrangeiros e o Serviços de Investigação Criminal. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA