Fórum empresarial dos Palop aposta na expansão de plataformas logística na África Ocidental

Francisco Viana - Presidente do Conselho do Empresáriado dos Países de Lingua Portuguesa (Foto: Joaquina Bento)
Francisco Viana - Presidente do Conselho do Empresáriado dos Países de Lingua Portuguesa (Foto: Joaquina Bento)
Francisco Viana – Presidente do Conselho do Empresáriado dos Países de Lingua Portuguesa (Foto: Joaquina Bento)

O presidente do Fórum Empresarial dos PALOP, Francisco Viana, revelou hoje, sexta-feira, em Luanda, que a sua instituição está a apostar na criação de plataformas logísticas em países como Cabo Verde, a Guiné Bissau e o Senegal.

“ Nós encontramos aqui um triângulo, Guiné Bissau, Cabo Verde e Senegal, e acreditamos que, através dele, consigamos fazer a promoção de negócios em países como o Mali, a Guiné-Conacri e arredores”, advogou.

Segundo o responsável, que falava à imprensa, a propósito da recente visita do Presidente de Cabo Verde, José Fonseca, ao World Trade Center, de Viana, plataforma logística de Luanda, esta intituição está a se especializar nas plataformas logísticas e empresariais.

Francisco Viana adiantou que, para Julho próximo, está na forja o lançamento da plataforma logística da cidade da Praia, em Cabo Verde, com 50 hectares entre o Porto e o Aeroporto locais.

Na mesma senda, será erguido outro complexo na Guiné Bissau, referindo que a questão já está acordada com as autoridades locais e que têm um terreno de 150 hectares, junto ao Porto de Bissau.

De igual modo, está-se a trabalhar com as autoridades de Dakar, para se instalar a mesma estrutura, numa zona de 200 hectares,entre o Porto local e a nova Zona Económica Especial.

“ Essas são as plataformas a partir das quais os nossos empresários podem começar a investir, sendo que alguns pensam investir nessas plataformas em domínios como os da Saúde, das Tecnologias de Informação, da Distribuição,da Área Cultural e do do Conhecimento”, frisou Francisco Viana.

O presidente do Fórum Empresarial dos PALOP é de opinião que as oportunidades são imensas, embora admita haver dificuldades, mas considera ser necessário perseverança, pois, para a diversificação da economia, com segurança e determinação, é uma oportunidade que os angolanos, cabo-verdianos e todos os empresários dos PALOP, não devem perder. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA