Filho de ex-presidente iraniano é condenado a 10 anos de prisão

(Março) Mehdi Hashemi, em Teerão (Foto: Mehdi Nadali/Fars news/AFP)
(Março) Mehdi Hashemi, em Teerão (Foto: Mehdi Nadali/Fars news/AFP)
(Março) Mehdi Hashemi, em Teerão (Foto: Mehdi Nadali/Fars news/AFP)

Mehdi Hachemi, um dos filhos do ex-presidente iraniano Akbar Hachemi Rafsandjani, terá que passar 10 anos na prisão por crimes económicos e de segurança, declarou nesta quinta-feira o porta-voz da Justiça, Gholamhossein Mohseni-Ejeie, citado pela agência Irna.

Em Março, Hachemi foi condenado a três penas de prisão que juntas somavam 15 anos de prisão por crimes vinculados à segurança nacional, assim como por “calote, desvio de fundos e fraude”.

O tribunal de apelações confirmou estas penas.

Mohseni-Ejeie explicou que, de acordo com a lei, é a pena mais alta que será aplicada, 10 anos de prisão.

Hachemi também foi condenado a uma multa, cujo montante não foi anunciado, e a uma proibição de exercer cargos públicos.

O nome de Mehdi Hachemi foi citado nos anos 2000 em casos que envolviam as petrolíferas norueguesa Statoil e a francesa Total, suspeitas de terem pago subornos para ter acesso às reservas iranianas de hidrocarbonetos. Nesta época era director do sector petrolífero iraniano.

É a maior condenação contra um membro directo da família de Rafsandjani, presidente de 1989 a 1997, próximo ao campo reformador.

Em 2009, este pilar do regime se converteu no inimigo dos conservadores por ter manifestado as dúvidas de uma parte dos iranianos sobre a reeleição do conservador Mahmud Ahmadinejad e criticar a repressão que se seguiu. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA