Falta projectos e verbas no futebol feminino – Eufrazina Maiato

SELECÇÃO FEMININA DE FUTEBOL ANGOLANA (Foto: Viera Afonso)

A falta de projectos dirigidos, maior disponibilidade de verbas e fraca aposta do órgão reitor são os principais factores que impedem o desenvolvimento do futebol feminino, de acordo com a membro do comité olímpico para a mulher e o desporto, Eufrazina Maiato.

SELECÇÃO FEMININA DE FUTEBOL ANGOLANA (Foto: Viera Afonso)
SELECÇÃO FEMININA DE FUTEBOL ANGOLANA (Foto: Viera Afonso)

Em declarações à Angop, quinta-feira, em Luanda, a propósito da apresentação do tema “Desenvolvimento do Futebol Feminino” na conferência nacional, a antiga vice-presidente da FAF afirmou que a modalidade “rei” tem decrescido por conta dos factores que enumerou.

Disse que Angola já viveu períodos áureos do futebol feminino, marcados pela presença em uma fase final da Taça das Nações, numa altura em que no país o movimento desportivo em termos de número de clubes e competições em nada se compara às parcas iniciativas actuais.

Eufrazina Maiato corrobora com o prelector do tema, o espanhol António Contreiras Oliveira, que defende a criação de escolas de formação exclusivas de futebol feminino ou unificadas, onde convivam jovens atletas de ambos os sexos.

A interlocutora reiterou a necessidade de criação de um plano estratégico para o desenvolvimento do futebol feminino no país, mas alerta que para a sua concretização deve haver vontade de todas as forças intervenientes no processo.

Esclareceu que a fraca aderência da mulher à modalidade é um falso problema, acrescentando que sempre houve interesse e adesão, que aos pouco foi diminuindo por desistência devido ao fraco investimento.

A selecção nacional sénior feminina de futebol, também denominada “Welwitchias” estreou-se na fase final de um CAN, em 2002, na Nigéria, onde integrou o Grupo B, ao lado das similares da África do Sul, Camarões e Zimbabwe.

A primeira Conferência Nacional do Futebol, que termina sábado, entra hoje no seu segundo dia de reflexão, destacando-se os temas “Academia do Futebol de Angola”, Organização do sector de formação de um clube de futebol” e “Implementação de um programa de detecção e selecção de talentos”.

Sob o lema “Todos pelo Futebol”, conta com a participação de cerca de 600 delegados, entre dirigentes desportivos, representantes das 18 províncias do país, praticantes e antigos praticantes, treinadores, jornalistas e convidados. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA