Exoneração de director da Educação divide o MPLA em Benguela

Isaac dos Anjos (VOA)
Isaac dos Anjos (VOA)
Isaac dos Anjos (VOA)

O Comité do MPLA em Benguela opõe-se à proposta de exoneração do director da Educação, Nelson da Conceição, apresentada pelo governador provincial. Isaac dos Anjos, por sinal o primeiro secretário do Comité Provincial, está a ser criticado em vários círculos do seu partido. Figuras notáveis dizem não ter memórias de um responsável tão engajado como o antigo director do Instituto Médio Industrial.

Apesar das críticas a Isaac dos Anjos, geralmente feitas em círculos muito restritos, tal como apurou a VOA, a verdade é que o mesmo Comité Provincial acabou por aprovar dois candidatos à sucessão do director da Educação.

Está visto que a saída de Nelson da Conceição, curiosamente membro do Secretariado Executivo do Comité Provincial do MPLA, é uma questão de dias.

Este cenário começou a ser desenhado quando, há alguns meses, Isaac dos Anjos teceu duras críticas devido ao que chamava de «excessos» nos gastos com a compra de giz.

Fê-lo publicamente diante de directores de escolas, tal como procedeu, mais tarde, quando denunciou a existência de dois mil professores que recebem salários mas não se fazem aos locais de serviço.

Uma denúncia que mereceu a reacção de José Laurindo, em nome do Sindicato, que deu o benefício da dúvida ao ainda director.

Fontes bem posicionadas no MPLA disseram à VOA que estes factores podem até manchar a gestão de Nelson da Conceição, mas não determinaram a proposta de exoneração.

Segundo dizem, o governador andará incomodado com a autonomia financeira na Educação, o sector que mais recebe do orçamento da província.

Os investimentos e os concursos públicos, sabe-se, são liderados por Nelson da Conceição, na maior parte dos casos longe dos olhares de Isaac dos Anjos.

Com recurso a uma linguagem popular muito em voga, um militante afirmou que o governador andará à procura de um director que «dance» a sua música, à semelhança do que se verifica na Saúde, sector liderado por Bernabé Lemos, que trabalhou com Isaac dos Anjos na província da Huíla.

Em caso de exoneração, Nelson da Conceição deverá ser rendido por Samuel Malenzi, um quadro com cerca de 25 anos no sector, ou Deolinda Valiangula, actual administradora do município do Bocoio, para onde deve seguir Fernando Belo. (voa.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA