Enviado da ONU na Guiné-Bissau para ver novos casos de Ébola na fronteira com Guiné Conakry

Peter Graaff (D.R)

O chefe da Missão das Nações Unidas para as Intervenções de Emergência contra o vírus de Ébola (UNMEER), Peter Graaff, iniciou uma vista à Guyiné-Bissau para avaliar esforços de prevenção do vírus de Ébola, soube-se de fonte oficial.

Peter Graaff (D.R)
Peter Graaff (D.R)

Graaf vai também inteirar-se dos preparativos em curso neste país exposto a um risco elevado, devido à sua proximidade com a Guiné-Conakry onde novos casos de Ébola foram registados numa zona urbana na fronteira entre os dois países, de acordo com a fonte.

Até ao momento, nenhum caso confirmado da doença foi assinalado na Guiné-Bissau, segundo o emissário da ONU depois de um encontro, quarta-feira última, com o primeiro-ministro bissau-guineense, Domingo Simões Pereira, e a ministra da Saúde, Valentina Mendes, sobre os consequentes preparativos em curso no país.

O emissário onusino efetua uma visita oficial de dois dias à Guiné-Bissau «para avaliar os esforços de prevenção e preparativos contra a Doença do Vírus de Ébola (DVE) no país e para ver, com o Governo, como a ONU pode mobilizar cada vez mais apoios ».

Além das suas discussões com altos funcionários da Guiné-Bissau e parceiros, Graaf projeta visitar zonas de isolamento e de tratamento da doença no Hospital Nacional Simão Mendes, em Bissau.

Deslocar-se-á igualmente a Contabane, posto fronteiriço com a Guiné Conakry.

A Guiné-Bissau continua a ser um  país de alto risco devido à sua proximidade com a Guiné-Conakry e aos recentes casos registados na prefeitura guineense de Boké, fronteiriça da Guiné-Bissau.

Segundo a última atualização da Organização Mundial da Saúde (OMS), havia 20 casos confirmados da doença do vírus de Ébola registados na semana de 21 de junho corrente, contrariamente aos 24 casos assinalados da semana precedente. (panapress.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA