Empresários querem melhorias na cobertura de risco na CPLP

Marginal de Luanda (Foto: Manuel Roberto)
Marginal de Luanda (Foto: Manuel Roberto)
Marginal de Luanda
(Foto: Manuel Roberto)

O presidente da Confederação Empresarial de Portugal e do Conselho Geral da ELO, António Saraiva entregou esta segunda-feira ao primeiro-ministro um relatório sobre a “Lusofonia económica” onde, entre outros aspectos, se defende o “desenvolvimento de acordos bilaterais para a criação de linhas de seguro de crédito com garantia do Estado de cada país membro” do espaço da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

A ideia, que surge num contexto de descida acentuada das importações angolanas, com grande impacto para as exportadoras portuguesas, visa cobrir “o risco comercial e o risco político”. Outro dos aspectos focados, ao nível do financiamento e investimento, passa pela criação, a nível europeu, “de um mecanismo de emissão de garantias ao investimento realizado por empresas europeias no espaço CPLP”.

Este relatório contém ainda propostas e recomendações em áreas como a formação e qualificação; tributação e segurança social; legislação sobre a propriedade e segurança jurídica; estatutos jurídicos; e protecção recíproca de investimentos.

Primeiro fórum de exportadores da CPLP
Nos próximos dias 26 e 27 de Junho vai decorrer em Lisboa o primeiro Fórum União de Exportadores da CPLP, que deverá contar com cerca de 150 empresários. A União de Exportadores da CPLP, presidida por Mário Costa, pretende desenvolver projectos como uma maior união no sector empresarial e financeiro, um observatório das actividades empresariais, uma marca CPLP, um fundo de coesão económico e social e um centro de arbitragem e de mediação de conflitos. Neste momento está a decorrer um roadshow, que passa por Cabo Verde, Guiné Equatorial, Angola e Moçambique. (publico.pt)

Por: Luis Villalobos

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA