Em Washington, Dilma visita com Obama o Memorial de Martin Luther King

Presidentes Dilma Rousseff e Barack Obama, ao lado de uma guarda florestal, admiram o Memorial Martin Luther King, em Washington. (Reuters/Kevin Lamarque)
Presidentes Dilma Rousseff e Barack Obama, ao lado de uma guarda florestal, admiram o Memorial Martin Luther King, em Washington. (Reuters/Kevin Lamarque)
Presidentes Dilma Rousseff e Barack Obama, ao lado de uma guarda florestal, admiram o Memorial Martin Luther King, em Washington.
(Reuters/Kevin Lamarque)

Uma visita ao Memorial Martin Luther King, em companhia do presidente Barack Obama. Foi com esse gesto altamente simbólico, quando os Estados Unidos choram as vítimas da matança na igreja da comunidade negra de Charleston, que a presidente brasileira Dilma Roussef iniciou sua visita a Washington, na tarde de segunda-feira (29).

Depois de se instalar na Blair House, residência oficial dos hóspedes da presidência, Dilma jantou com Obama na Casa Branca, ambos acompanhados de seus ministros e secretarios de Estado. A sobremesa foi uma homenagem ao Brasil, com bolo de banana e sorvete de café.
Quatro manifestantes protestaram contra Dilma e o PT na frente da Blair House, com cartazes com frases contra o partido e mandiocas.

Reunião e encontros

Nesta terça-feira (30) a agenda é carregada. Dilma participa de manhã de reunião de trabalho com Obama na Casa Branca, em que discutirão temas de interesse bilateral como comércio, ciência, tecnologia e educação, energia. A expectativa é grande quanto ao anúncio conjunto sobre a questão das mudanças climaticas. Eles farão uma declaração à imprensa no final do encontro e responderão às perguntas dos jornalistas.

Em seguida, Dilma é a convidada do vice-presidente Joe Biden para um almoço no Departamento de Estado para 200 pessoas, onde ela encontrará outra mulher de projeção, Madeleine Allbright, primeira americana a ocupar o cargo de secretária de Estado.

Discurso de encerramento

Na parte da tarde Dilma faz o discurso de encerramento da 3ª cúpula de Negócios Brasil-Estados Unidos, na Câmara Americana do Comércio, com participação de diversos ministros e empresários do setor aeronáutico, industrial, farmacêutico e outros. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que viajou contra as ordens do seu médico depois de uma embolia pulmonar, vai falar no evento.

Dilma segue no dia 1° de julho para São Francisco, última etapa do seu giro americano. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA