Duarte Marques: Reação à prisão de Sócrates “foi erro”, mas “fui genuíno”

(D.R)

O deputado do PSD Duarte Marques comentou, em entrevista publicada pelo jornal i esta segunda-feira, a sua efusiva reação à notícia da detenção de José Sócrates.

(D.R)
(D.R)

“Foi uma espécie de grito de libertação de alguém que tinha ido várias vezes fazer denúncias na Procuradoria-Geral da República sobre coisas que se passavam. E quando vi aquela notícia cometi um erro, mas fui genuíno, fui autêntico”, afirmou Duarte Marques em entrevista ao jornal i.

O deputado do PSD refere-se à sua reação à detenção de José Sócrates nas redes sociais: “Aleluia! A malta de Mação não perdoa”, atirou.

Recorde-se que Duarte Marques é natural de Mação e, em 2011, reuniu-se com a Procuradoria-Geral da República para pedir uma investigação ao governo de José Sócrates.

“Só apaguei aquilo porque senti que estava a prejudicar pessoas que não tinham nada a ver com isso”, indicou. “Apaguei, mas ninguém me pediu. Não faço fretes e não tenho medo de ficar sozinho. Dou a cara quando tenho que dar, mas naquele caso cometi um erro”, acrescentou.

Quando questionado sobre se Pinto Monteiro, ex-Procurador-geral da República, protegeu o ex-primeiro-ministro agora detido, o antigo líder da JSD foi perentório.

“Não tenho a mínima dúvida sobre isso. As evidências são claras. Eu só espero que a justiça tenha liberdade para trabalhar e, neste momento, há liberdade. Todos são investigados. O maior desejo que eu tenho é que se consiga descobrir todos aqueles que prevaricaram”, atirou. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA