Dezenas de polícias constituídos arguidos no caso da troca de passes

(D.R)

Alguns polícias já pediram apoio jurídico gratuito. O Sindicato da Polícia de Segurança Pública vai prestar todo o apoio que necessitarem.

(D.R)
(D.R)

Os agentes da PSP que trocaram os passes mensais da Transportes Sul do Tejo por dinheiro estão a ser alvos de processos disciplinares. O Público dá conta de que em causa estão mais de 100 polícias.

O esquema, recorde-se, funcionava da seguinte forma: os funcionários da operadora de transportes cobravam-lhes uma comissão – por um passe de 109 euros entregavam aos polícias 89 euros, ficando com o restante.

A investigação do Público desvendou em meados de maio este esquema fraudulento que funcionava há vários anos nas bilheteiras de Cacilhas e que lesava o Estado, uma vez que se tratava de títulos de transporte gratuito.

O porta-voz da PSP, o subintendente Paulo Flor, confirma que estão a ser realizadas averiguações para apurar “indícios claros de infração disciplinar” que já levaram à constituição de “algumas dezenas” de agentes como arguidos. Para cada agente será aberto um processo individual que terá em conta o número de vezes que recorreu ao esquema e as circunstâncias em que o fez.

Já o presidente do Sindicato dos Profissionais de Polícia, Mário Andrade, adianta que muitos já pediram o apoio jurídico gratuito disponibilizado pelo sindicato.

“Nós dissemos que daremos todo o apoio jurídico que for necessário”, assegura, acrescentando que a informação que tem é a de “que serão constituídos arguidos, no total, 120 polícias”. “Claro que nem todos são nossos associados e, mesmo entre os que são, nem todos pediram apoio jurídico”, explica.

Saliente-se que, após denunciada a fraude, alguns destes agentes tentaram apagar o rasto do esquema ao pedirem segundas vias dos títulos de transporte. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA