Cuanza Norte: Aberta jornada comemorativa dos 36 anos do Minint

Efectivos do Minint no acto de abertura de mais um aniversário da instituição (Foto: Estevão Manuel)
 Efectivos do Minint no acto de abertura de mais um aniversário da instituição (Foto: Estevão Manuel)

Efectivos do Minint no acto de abertura de mais um aniversário da instituição (Foto: Estevão Manuel)

Actividades de índole político, cultural e desportivo, em alusão ao 36º aniversário do Ministério do Interior, a assinalar-se a 22 de Junho, decorrem no Cuanza Norte.

Durante a jornada, aberta na sexta-feira, em Ndalatando, pelo delegado provincial do Interior, comissário José Alexandre Manuel Canelas, estão programados quadrangular de futsal, palestra sobre a trajectória da instituição, e trabalhos de embelezamento nos órgãos afectos ao Minint, no Cuanza Norte.

O programa comemorativo da jornada, que decorre sob o lema “Minit-36 anos, firmes na manutenção da ordem e da tranquilidade públicas”, tem ainda prevista a deposição de coroa de flores no túmulo dos efectivos já falecidos.

Na ocasião, o delegado provincial do Interior no Cuanza Norte, comissário José Alexandre Canelas, solicitou aos efectivos do Minint a tomarem a data como um momento de reflexão sobre os caminhos trilhados desde a sua institucionalização, assim como os desafios que se apresentam na actualidade.

Uma palestra sobre a “Criação do Minint”, foi igualmente realizada em alusão à data, a qual contou com a participação dos efectivos do comando provincial da Polícia Nacional, serviços de protecção civil e bombeiros, serviços penitenciários, migração e estrangeiros, Investigação Criminal, bem como da delegação provincial do Minint e convidados.

Foi orador da palestra, o segundo comandante provincial do Cuanza Norte para a ordem pública da Polícia Nacional, subcomissário Gaspar da Silva, que descreveu a trajectória, perspectivas e o desenvolvimento do Ministério do Interior.

Destacou-se igualmente a importância da instituição para o país, fundamentalmente no que concerne à manutenção da ordem e tranquilidade públicas, combate à criminalidade, ao branqueamento de capitais, fuga ao fisco, droga, tráfico de seres humanos, controlo de fronteiras e a emigração ilegal. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA