Cuando Cubango: Identificadas mais de 200 áreas por desminar

ACÇÃO DE DESMINAGEM NO CUANDO CUBANGO (FOTO: ROSÁRIO DOS SANTOS)

Menongue – Pelo menos duzentas e quarenta e duas áreas precisam ainda de ser desminadas no Cuando Cubango, informou quinta-feira, em Menongue, o vice-governador provincial para o sector político e social, Pedro Camelo.

ACÇÃO DE DESMINAGEM NO CUANDO CUBANGO (FOTO: ROSÁRIO DOS SANTOS)
ACÇÃO DE DESMINAGEM NO CUANDO CUBANGO (FOTO: ROSÁRIO DOS SANTOS)

O responsável prestou esta informação no acto de encerramento da II reunião plenária de Acção Contra Minas, que teve como uma das finalidades definir as medidas destinadas a resolver as dificuldades do sector e aprovar o Plano Operacional local 2015-2016.

Segundo disse, das 325 áreas suspeitas de estar com minas terrestres e outros engenhos explosivos remanescentes da guerra, apenas 83 estão livres da ameaça destes artefactos. Os primeiros dados resultaram do levantamento do impacto socioeconómico das minas nas comunidades, pela operadora “The Halo Trust”, nos meses de Junho e Agosto de 2005.

As estatísticas apontam a desminagem, por ano, de aproximadamente 6,4 áreas, medida que vem claramente alertar a todos que o caminho a percorrer é realmente árduo e longo, acrescentou.

“No entanto, adicionadas a estas, as nossas administrações municipais identificaram mais 21 áreas que carecem de um trabalho técnico para a confirmação ou desacreditação da suspeita de contaminação”, revelou o dirigente.

Neste capítulo da desminagem, Pedro Camelo informou que a capacidade operacional existente no Cuando Cubango conta com quatro operadoras efectivas, sendo a de engenharia militar, com quatro brigadas, da Polícia de Guarda Fronteira, com duas brigadas, do Instituto Nacional de Desminagem, com uma, e a The Halo Trust, com uma equipa de desminagem e outra de pesquisa e destruição massiva de engenhos (E.O.D).

De acordo com o vice-governador, a este ritmo o Cuando Cubango vai precisar aproximadamente de 38 anos para somente desminar as áreas, identificadas aquando do levantamento do impacto socioeconómico de minas nas comunidades. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA