Copiloto que causou desastre com avião da Germanwings visitou 41 médicos em cinco anos

O procurador geral de Marselha, Brice Robin, participa de uma entrevista coletiva em Paris (Foto: STEPHANE DE SAKUTIN/AFP)
O procurador geral de Marselha, Brice Robin, participa de uma entrevista coletiva em Paris (Foto: STEPHANE DE SAKUTIN/AFP)
O procurador geral de Marselha, Brice Robin, participa de uma entrevista coletiva em Paris (Foto: STEPHANE DE SAKUTIN/AFP)

O co-piloto do A320 da Germanwings que caiu em 24 de Março nos Alpes franceses com 150 pessoas a bordo visitou 41 médicos em um período de cinco anos, sendo sete deles no mês que antecedeu seu suicídio, revelou nesta quinta-feira o promotor de Marselha.

“O co-piloto, preocupado com sua saúde que tinha medo de perder a vida, sofria de uma psicose acompanhada de problemas de visão sem resultados orgânicos”, explicou Brice Robin em colectiva em Paris, ao final de um encontro com familiares das vítimas. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA