Colômbia: Guerrilheiro das Farc mata chefe por recompensa e pega 18 anos de prisão

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Um guerrilheiro das Farc foi condenado a mais de 18 anos de prisão pelo homicídio de seu chefe Iván Ríos, em 2008, então membro da cúpula rebelde e por quem o governo oferecia uma milionária recompensa, informou a Procuradoria local.

“Pedro Pablo Montoya Cortés, o ‘Rojas’, acaba de ser condenado a 18 anos e três meses de prisão pelo homicídio de Iván Ríos e de sua companheira”, acrescentou a Procuradoria, em um comunicado.

Segurança do então membro do Secretariado das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Manuel Muñoz – conhecido pelo nome de guerra Iván Ríos -, Montoya admitiu em Março de 2008 ter matado o líder guerrilheiro com um tiro na cabeça.

Como prova, apresentou a mão direita do corpo em uma base militar no departamento de Caldas (centro-oeste).

O governo colombiano oferecia uma recompensa de cerca de 100.000 dólares (no câmbio actual) por informações sobre Iván Ríos.

Proferida por um juiz do município de Aguadas, Caldas, a sentença contra Montoya não é a única contra ele, que já está detido na cidade de Valledupar (departamento de César).

Em 2011, Montoya recebeu uma pena de 40 anos de prisão, junto com outros quatro insurgentes, pela tomada do município de Nariño, departamento de Antioquia (noroeste), em 1999. Nessa acção guerrilheira, morreram nove policiais e sete civis, 16 pessoas ficaram feridas, e sete militares foram sequestrados.

A Colômbia vive um conflito armado de mais de 50 anos e que já deixou pelo menos 220.000 mortos e mais de seis milhões de deslocados. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA