Brasil e Angola assinam acordo operacional para financiamento de PME’s

(D.R.)
(D.R.)
(D.R.)

Angola e Brasil assinaram, esta quarta-feira, um acordo operacional para o financiamento de exportações brasileiras de micro, pequenas e médias empresas para Angola, soube-se de fonte oficial.

O acordo foi assinado pelo embaixador de Angola no Brasil, Nelson Cosme, com subdelegação de plenos poderes outorgados pelo ministro angolano das Finanças, Armando Manuel, e pelo director do Banco do Brasil, Sandro Franco.

O evento visa a materialização do protocolo de entendimento assinado em Outubro de 2014, para o financiamento pelo Banco do Brasil de Exportações de bens e serviços para micro, pequenas e médias empresas angolanas, promovendo as parcerias entre o empresariado dos dois países.

A inserção na economia nacional, criação de emprego e a distribuição de renda fortalecendo assim, o terceiro sector através da criação de mais empregos.

Por outro lado, no quadro do Acordo operacional que regula o protocolo assinado no âmbito do Programa Brasileiro às Exportações (PROEX),o Banco do Brasil trabalhará com bancos públicos angolanos, nomeadamente, BPC e BCI, no sentido da utilização inicial de cinquenta milhões de dólares a ser utilizados para pequenas e médias empresas angolanas, numa gestão que poderá atingir os 300 milhões de dólares por ano.

A visão angolana para o estabelecimento deste acordo é o apoio efectivo às micro, pequenas e médias empresas potencializando-as no comércio internacional.

O acordo operacional ao protocolo de entendimento de financiamento de exportações de bens e serviços para Angola, juntar-se-á ao acordo de facilitação de vistos já em vigor, que permite uma circulação mais fluída de empresários entre os dois países.

Assim, como o acordo de facilitação de investimentos nos sectores da indústria, agricultura, energia e serviços, este último assinado por ocasião da visita efectuada nos finais de Abril a Angola pelo Ministro das relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira e o Secretário de Estado brasileiro do Comércio Exterior. (Angop/Expansão)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA