Blatter anuncia que vai renunciar à presidência da Fifa

(DW)
(DW)
(DW)

O presidente da Federação Internacional de Futebol (FIFA), Joseph Blatter, declarou nesta terça-feira (02/06) que renunciará ao cargo. O anúncio foi feito na semana seguinte à eclosão de um escândalo de corrupção envolvendo dirigentes da entidade.

“Este mandato não parece ser apoiado por todos no mundo do futebol”, declarou Blatter numa conferência de imprensa em Zurique. “A FIFA precisa de uma reestruturação profunda.”

O suíço de 79 anos, presidente da FIFA há dezassete anos e reeleito na última sexta-feira, disse que um congresso especial será convocado para eleger seu sucessor. A nova eleição está prevista para o período entre Dezembro deste ano e Março do ano que vem.

“Vou continuar exercendo minha função [até a escolha]”, disse o presidente. Ele afirmou ter tomado a decisão depois de “considerar meticulosamente” sua presidência, seis dias depois de o FBI prender dirigentes da federação num hotel em Zurique.

Os sete cartolas detidos, entre eles o ex-presidente da CBF José Maria Marin, foram acusados de ter recebido milhões de dólares em propina ao longo das últimas décadas.

Na última sexta-feira, apesar dos escândalos de corrupção, Blatter foi eleito pela quinta vez consecutiva para comandar a entidade máxima do futebol. O suíço foi declarado vencedor depois de seu único concorrente, o príncipe jordano Ali bin al-Hussein, ter reconhecido derrota e desistido da realização de um segundo turno.

Decisão “corajosa”

O presidente da UEFA, Michel Platini, saudou o anúncio de Blatter. “Foi uma decisão difícil, corajosa e correcta”, disse o dirigente europeu em comunicado. Na semana passada, o ex-aliado do presidente da FIFA disse a Blatter que ele deveria deixar a federação.

O ex-candidato à presidência da entidade Jerome Champagne também elogiou a posição do suíço. “De certa maneira, Blatter está se sacrificando pela FIFA, por uma estrutura que ele desenvolveu e que ama.”

A porta-voz da Comissão Europeia para desportos, Nathalie Vandystadt, reconheceu a decisão como um passo importante, mas destacou que ainda há muito a ser feito. “Esperamos um longo processo de mudança, que é necessário para restaurar a confiança e estabelecer um sistema sólido de boa governança na FIFA.” (dw.de)

LPF/rtr/ap/afp

 

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA