Bié: Abandono no tratamento da tuberculose preocupa autoridades sanitárias

(Foto: Angop)

Cuito – O chefe de secção de grandes endemias da direcção provincial da saúde, Nelson Stover, mostrou-se hoje, terça-feira, na cidade do Cuito, preocupado com os doentes que persistem em abandonar o tratamento da tuberculose, sobretudo no sanatório.

(Foto: Angop)
(Foto: Angop)

Nelson Stover sublinhou que muitos doentes diagnósticos com a tuberculose não comprem com o tratamento da doença, situação que tem criados vários constrangimentos quanto a recuperação dos mesmos.

Ele afirmou que alguns doentes que abandonam o tratamento da enfermidade, segundo informação vindas por parte dos familiares, depois da fuga começam a consumir bebidas alcoólicas e outras drogas, situação que influencia no reaparecimento da doença.

O responsável assegurou que dos 502 novos casos de tuberculose diagnósticos durante o primeiro trimestre do ano em curso, 91 doentes abandonaram o tratamento por razões desconhecidos.

Este cenário, de acordo com a fonte, tem criado igualmente dificuldades nas autoridades sanitárias, já que quando reaparecem nas unidades sanitárias apresentam um quadro clinico preocupante.

Assegurou que para diminuir o problema, o sector da saúde em parceria com as autoridades tradicionais e igrejas, realizam palestras de sensibilização, no sentido de esclarecer os perigos e as formas de prevenção da enfermidade.

O tratamento da tuberculose é efectuado em duas fases, sendo a primeira intensiva com a duração de dois meses e outra, ambulatório de seis meses. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA