Bento Kangamba pede tranquilidade para que justiça faça seu trabalho

BENTO KANGAMBA (Foto: Angop)

O secretário do comité provincial de Luanda do MPLA para a Área Periférica e Rural, Bento dos Santos “Kangamba”, pediu as pessoas que mantenham a tranquilidade para que a justiça faça o seu trabalho em relação aos 15 jovens acusados da prática do crime de tentar inverter a ordem constitucional no país.

BENTO KANGAMBA (Foto: Angop)
BENTO KANGAMBA (Foto: Angop)

“ A detenção por parte da Polícia Nacional e o papel da Procuradoria-Geral da República vai de encontro com plasmado na constituição vigente em Angola. No país existem leis que devem  ser cumpridas e o poder exercido pela vontade do povo, por meio do voto”, sublinhou.

Falando hoje, terça-feira à Angop,  o político disse que qualquer cidadão ou partido deve  seguir o processo democrático em curso, respeitando os dirigentes do país eleitos, bem como de outras instituições.

Bento Kangamba pediu as pessoas que respeitem as instituições democraticamente eleitas.

Procuradoria-Geral da República, acrescentou, deve continuar a fazer o seu trabalho sem intervenção externa, já que acusação foi feita depois de uma denúncia e o processo se encontra em segredo de justiça.

Para o político é fundamental que a paz alcançada há mais de dez anos seja salvaguardada, promovendo harmonia e unidade entre os angolanos em prol do crescimento do país, para o bem comum da população.

Por isto apelou a população juvenil a aplicar-se aos estudos e ao trabalho, visando ajudar o crescimento económico e social do país.

Bento dos Santos Kangamba reafirmou que a juventude angolana tem um papel importante e proeminente para a preservação da coesão e unidade da Nação.

O político disse que deve ser seguido o exemplo de jovens que, no passado, protagonizaram os grandes feitos da luta pela independência nacional e pela paz, por isso compete aos jovens de hoje criar uma nação angolana, baseada na tolerância.

Aconselhou a camada juvenil a abandonar divisões que impeçam acções comuns em relação “ao que é verdadeiramente importante para o futuro do país”.

De acordo com Bento  Kangamba, o presente custou sangue, suor e lágrimas, pelo que aconselhou aos jovens a dedicarem-se aos estudos para enfrentar os novos desafios e melhor servir o país. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA