António Costa: “Maiorias definem-se sempre em cima das eleições”

(D.R)

António Costa, secretário-geral do PS e candidato a primeiro-ministro, comentou, em entrevista ao Jornal de Notícias, as eleições que se aproximam.

(D.R)
(D.R)

António Costa mostrou-se, em entrevista ao Jornal de Notícias, confiante na vitória do PS nas eleições legislativas e não coloca a hipótese de perder.

“Claramente, ninguém deseja a continuidade da coligação de direita”, atira, indicando que as sondagens não o preocupam. “Dão ao PS 7% acima do que teve nas europeias. E as maiorias definem-se sempre em cima das eleições”, acrescentou.

Para o secretário-geral do PS, a única alternativa do partido é a maioria, pois “há boas razões para os portugueses compreenderem que não devem arrastar o país nem para uma situação de ingovernabilidade, nem de crise política artificial”.

O socialista refere-se à decisão anunciada por Cavaco Silva, que só aceitará um governo maioritário. “Só é possível se o PS tiver maioria nas eleições. Outras soluções seriam penosas e contrárias à vontade dos cidadãos. Se querem mudança, não querem que o PS faça coligação com um partido que deseja a continuidade destas políticas”, indicou.

“O Presidente da República impôs uma condição que não resulta da Constituição, nem da prática política”, criticou, sobre a mesma decisão.

No entanto, Costa não deixa esmorecer a convicção de que as eleições vão refletir as necessidades do país. “Os portugueses têm a felicidade de poder escolher entre duas opções muito claras na sua diferenciação: continuar a política de austeridade ou virar a página mantendo-nos na Europa”. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA