Angola/Portugal: Formação de quadros militares tem sido prioritário nas relações no domínio da defesa

Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço (Foto: Lucas Neto)

O ministro da Defesa Nacional, João Gonçalves Lourenco, afirmou hoje, segunda-feira, em Luanda, que com Portugal, Angola tem privilegiado e beneficiado sobretudo da cooperação na área da formação de quadros.

Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço (Foto: Lucas Neto)
Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço (Foto: Lucas Neto)

O titular da pasta da defesa fez a afirmação na cerimônia de abertura das conversações oficiais entre delegações ministeriais, encabeçadas por si e pelo seu homólogo de Portugal, José Pedro Aguiar-Branco, que se encontra na capital, em visita oficial de trabalho de quatros dias a Angola no quadro das relações bilaterais no domínio da defesa.

João Lourenço referiu que a formação de quadros tem sido feita quer em Portugal como nos estabelecimentos de ensino militar em Angola, em diversos domínios, com destaque para as ciências médicas e formação de marinheiros e outros especialistas.

Por outro lado, o ministro precisou que a conjuntura regional  “leva as autoridades angolanas a prestar atenção à segurança marítima no patrulhamento das suas águas territoriais e Zona Econômica Exclusiva, no combate à pirataria, emigração ilegal e ao terrorismo”.

Neste domínio, prosseguiu João Lourenço, a formação do homem revela-se de extrema importância e no quadro das relações entre Angola conta também com apoio de Portugal.

“Com  os perigos que pairam hoje sobre o mundo, Angola actualmente membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, continuará a cumprir as suas obrigações em matéria de segurança internacional”, ressaltou.

Destacou que a República de Angola está seriamente engajada em contribuir para que seja alcançada a paz definitiva na região dos Grandes Lagos, em particular no que diz respeito aos conflitos na República Centro-Africana, República Democrática do Congo, no Sudão do Sul, Quénia e no Burundi.

O governante frisou que a segurança do Atlântico Sul, nomeadamente do Golfo da Guiné, importante rota marítima internacional, está igualmente na agenda das prioridades das autoridades angolanas.

João Lourenço reafirmou que Angola e Portugal são dois países ligados por tradicionais e históricos laços, buscando sempre consolidar uma relação na base do respeito mútuo, não ingerência nos assuntos internos e respeito pela soberania.

Durante as conversações conjuntas entre ministros, que termina ainda hoje, estão em análise e revisão o estado de implementação do Acordo de Cooperação no domínio da Defesa entre os dois países. No término das mesmas os dois ministros vão rubricar um protocolo no quadro da formação de quadros. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA