Angola privilegia relação com a República da China

(Foto: Epa)
(Foto: Epa)
(Foto: Epa)

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, expressou na terça-feira, em Beijing, o interesse de Angola continuar a manter uma relação privilegiada com a China, realizando acções conjuntas no domínio das infra-estruturas básicas e económicas. José Eduardo dos Santos manifestou este desejo no encontro que manteve com o seu homólogo chinês, Xi Jinping, no Palácio do Povo, onde foi recebido com 21 salvas de canhões, acto complementado com a entoação dos hinos nacionais dos dois países, passagem em revista às tropas em parada e a fotografia oficial.

O Estadista angolano disse que a história tem demonstrado que é na base da confiança e do respeito mútuo que se forjam as relações sólidas e duradouras como a parceria estratégica entre Angola e a China, considerando muito fortes os laços de amizade e solidariedade que ligam os dois países. “A República Popular da China foi o país que mais depressa compreendeu a situação difícil pós-guerra em que Angola se encontrava em 2002 e qual o apoio que lhe poderia dar para a reconstrução nacional”, evocou.

Fruto desta ajuda, José Eduardo dos Santos assinalou, com satisfação, que em poucos anos Angola conseguiu grandes progressos e hoje o país já é o segundo parceiro da China em África e a China o maior importador mundial de petróleo angolano. “Os nossos países têm imensas potencialidades para valorizar e podem ir mais longe, estabelecendo programas bilaterais de cooperação, mais realistas e definindo correctamente as prioridades”, sublinhou.

Prestígio em África No prosseguimento da sua visita oficial à China, iniciada segunda-feira, José Eduardo dos Santos foi recebido na manhã de hoje pelo presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (Assembleia Nacional), Yu Zhengsheng, com quem analisou aspectos de interesse comum.

Ao expressar os cumprimentos de boas vindas, no Grande Palácio do Povo, Yu Zhengsheng sublinhou o papel pacificador do Angola privilegia relação com a República da China Chefe de Estado José Eduardo dos Santos manteve encontro com o seu homólogo chinês Xi Jinping a quem manifestou interesse em reforçar a cooperação existente no domínio das infra-estruturas Presidente José Eduardo dos Santos, ao mesmo tempo que reconheceu a competência do MPLA pela forma como tem traçado as políticas públicas.

“O Presidente José Eduardo dos Santos é um líder africano que goza de prestígio no continente africano e no mundo, pois sob a sua liderança e do MPLA Angola tem conseguido grandes êxitos nos últimos anos, em todos os sectores”, referiu. Yu Zhengsheng admitiu que, a partir da entrada do novo século, Angola tem registado um desenvolvimento contínuo e estabilidade social, fruto da liderança do Presidente José Eduardo dos Santos e também do seu partido.

O presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (Assembleia Nacional) declarou que esta quarta visita oficial de José Eduardo dos Santos à China trará um grande contributo para impulsionar as relações bilaterais entre os dois países. Por sua vez, o Chefe de Estado angolano começou por manifestar o seu sentimento de pesar e de solidariedade pelo naufrágio ocorrido recentemente na China, inerentes ao reforço da cooperação entre os dois países.

Ao primeiro-ministro chinês, José Eduardo dos Santos manifestou o desejo de aprofundar as relações para que a parceria estratégica entre Angola e a China venha a constituir-se num modelo de cooperação eficaz para ambos os países e uma referência para toda a África. Na base do entendimento que se pretende cada vez mais forte, Angola e a China assinaram alguns instrumentos jurídicos que irão permitir o reforço da cooperação nos mais variados domínios, no interesse dos dois povos e países.

Integraram a comitiva presidencial, o ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República, Edeltrudes Costa, e os titulares das pastas das Relações Exteriores, Georges Chikoti, das Finanças, Armando Manuel, do Comércio, Rosa Pacavira, da Agricultura, Afonso Canga, dos Transportes, Augusto Tomás, da Energia e Águas, João Baptista Borges, do Ensino Superior, Adão do Nascimento, e da Educação, Pinda Simão.

Angola conseguiu grandes progressos e hoje o país já é o segundo parceiro da China em África e a China o maior importador mundial de petróleo de que resultou a morte de centenas de pessoas. Expressou ainda a sua alegria e admiração pelo rápido e contínuo desenvolvimento que a China tem registado em todos os domínios da vida, tendo agradecido a forma calorosa como a delegação angolana foi recebida. Modelo de cooperação Ainda no mesmo dia, o Estadista angolano manteve um encontro com o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, com quem analisou igualmente aspectos. (jornaldeeconomia.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA