Ana Paula Vitorino: “Temos uma ditadura económica em vez de política”

(D.R)

Mais de 40 anos depois de uma mudança radical no país, com o 25 de Abril, políticos portugueses analisam o sistema e dão a sua opinião.

(D.R)
(D.R)

Em declarações ao Jornal de Notícias, políticos portugueses de diferentes cores partidárias analisaram o que mudou nos últimos 41 anos a nível nacional. Quando questionados sobre onde estava o país no 25 de Abril de 1974 e onde está agora, todos concordam que Portugal está melhor em democracia do que numa ditadura política mas as visões sobre o país são bem distantes.

Rui Rio, ex-presidente da Câmara do Porto que, tudo indica, deverá avançar com uma candidatura a Belém, acredita que a economia e a política andam “de mãos dadas” e acredita que o estado da economia nacional pode justificar o “afastamento brutal entre as pessoas e a política”, o que considera “muito grave” pelo facto de as pessoas não confiarem nos políticos.

Ana Paula Vitorino, ex-secretária de Estado, lamenta o destino para o qual segue o país e acredita que em Portugal “temos uma ditadura económica em vez de uma ditadura política”, o que poderá colocar em causa “ganhos civilizacionais da democracia”, como os retrocessos no apoio à doença e à terceira idade.

Já Diogo Feio, ex-dirigente dos democratas-cristãos revela que, na sua opinião, “os cidadãos que se alheiam também não têm grande vontade de mudança” mas mostra que as disparidades sociais, ainda assim, são inaceitáveis.

O ponto de vista de Alberto Martins, ex-ministro, é bem diferente já que crê que, 41 anos depois da Revolução dos Cravos, o Estado não está a conseguir garantir “os mínimos de sobrevivência”, o que condiciona e degrada as “condições básicas da sociedade”. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA