Ambientalista diz que oceanos servem de esconderijo para resíduos perigosos

Oceanos servem de esconderijo para resíduos perigosos (DR)
Oceanos servem de esconderijo para resíduos perigosos (DR)
Oceanos servem de esconderijo para resíduos perigosos (DR)

O gestor de projectos na área do ambiente Vladimir Russo manifestou hoje, em Luanda, a sua preocupação em relação ao tratamento dado aos oceanos, que além de servirem como fonte de alimento de milhões de pessoas, servem também de esconderijo de resíduos perigosos descartados.

Em declarações à Angop, a propósito do Dia Mundial dos Oceanos, assinalado segunda-feira (dia 08), o responsável acrescentou que efluentes (resíduos provenientes das indústrias) não tratados de muitas cidades costeiras, como o caso de Luanda e Benguela, também têm destino no oceano.

Os sacos de plásticos que usados em terra e acabam no mar poluindo o meio e sufocando milhares de espécies, quando confundidos com alimentos,entre outros perigos comuns, foram outros exemplos apontados pelo ambientalista contra os oceanos.

“Há muito que os oceanos deixaram de ser apenas fonte de alimento de milhões de pessoas e o caminho para comércio internacional, mas actualmente os oceanos têm sido considerados como um dos principais sumidouros de carbono e produtores de oxigénio do mundo”, lembrou o ambientalista.

É com base nos serviços que os oceanos nos oferecem que o lema deste ano sobre o dia dos oceanos foi “Oceano Saudável, Planeta Saudável”, alusão que serve para transmitir a importância da protecção dos oceanos enquanto ecossistema, casa comum de milhares de espécies e um vital fornecedor de serviços ambientais para o planeta, acrescentou.

Na sua óptica, uma das formas de protecção dos oceanos e das suas espécies é a criação de áreas protegidas, sendo um dossier, para si complexo, mas que “é possível efectivar se houver planificação e uma perspectiva integrada da implementação da abordagem do ecossistema”.

Para tal, acrescentou, que as áreas marinhas protegidas podem tornar-se locais importantes de reprodução de espécies, por isso, deverá haver sempre a necessidade de protecção dessas áreas da poluição causada pelos efluentes e resíduos sólidos urbanos.

Vladimir Russo concluiu que a implementação de sistemas adequados de recolha e tratamento de resíduos e o tratamento adequado das águas residuais antes do seu despejo para o mar, podem concorrer para uma melhor protecção dos oceanos. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA