Alemanha acusa Putin de mostrar reflexos da Guerra Fria

Ministro Alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier (D.R)

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, está agindo com reflexos da Guerra Fria, disse o ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, nesta quarta-feira, depois que Moscou decidiu acrescentar mais de 40 mísseis balísticos intercontinentais a seu arsenal nuclear.

Ministro Alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier (D.R)
Ministro Alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier (D.R)

“O anúncio do presidente Putin de aumentar o arsenal de mísseis estratégicos da Rússia é desnecessário e certamente não contribui para a estabilidade e o alívio da tensão na Europa”, afirmou Steinmeier ao portal alemão de notícias Spiegel Online.

Autoridades russas repudiaram um plano de Washington de posicionar tanques e armamento pesado em países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Leste Europeu, na fronteira russa ou em suas proximidades, o que disseram ser a manobra norte-americana mais agressiva desde a Guerra Fria.

O porta-voz do governo alemão também criticou as declarações de Putin. “Elas não são uma maneira útil de superar as dificuldades presentes que existem na relação entre a Rússia e a Europa ou a Rússia e os Estados Unidos”, disse Steffen Seibert em coletiva de imprensa de rotina em Berlim.

Steinmeier acrescentou que o mundo mudou desde o final da Guerra Fria em 1989, “mas os antigos reflexos daquela época evidentemente estão mais vivos do que pensávamos até o ano passado”. “Só posso alertar para que não se ceda a tais reflexos e se entre em uma espiral rápida de escalada nas palavras e depois nos atos”, afirmou.

A tensão entre a Rússia e o Ocidente se agravou em função do papel de Moscou no conflito da Ucrânia. Forças separatistas pró-Moscou ocuparam boa parte do leste ucraniano depois que a Rússia anexou a Crimeia, península da Ucrânia, em março de 2014. (swissinfo.ch)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA