União Europeia pede revisão da sentença de pena de morte de ex-presidente Mursi

O ex-presidente egípcio Mohamed Mursi ouve, da cela dentro do tribunal, a leitura do veredicto, Cairo, 16 de maio de 2015 (Foto de Khaled Desouki/AFP)
O ex-presidente egípcio Mohamed Mursi ouve, da cela dentro do tribunal, a leitura do veredicto, Cairo, 16 de maio de 2015 (Foto de Khaled Desouki/AFP)
O ex-presidente egípcio Mohamed Mursi ouve, da cela dentro do tribunal, a leitura do veredicto, Cairo, 16 de maio de 2015 (Foto de Khaled Desouki/AFP)

A União Europeia (UE) disse esperar, neste domingo, que a decisão de condenar o ex-presidente egípcio Mohamed Mursi à morte seja “revista” no processo de apelação.

“A decisão do tribunal de condenar à morte o ex-presidente Mohamed Mursi e mais de 100 de seus partidários, em um julgamento em massa, não está de acordo com as obrigações internacionais do Egipto”, reagiu a alta representante da diplomacia europeia, Federica Mogherini, em nota divulgada por seu gabinete.

“As autoridades judiciais egípcias devem garantir, em conformidade com as normas internacionais, o direito dos acusados a um processo justo e a investigações apropriadas e independentes”, insistiu.

“A UE acredita em que a sentença será revista durante o processo de apelação”, concluiu Mogherini, reforçando a oposição da UE à pena de morte.

O governo americano se declarou “profundamente preocupado” com a sentença.

“Sempre nos mostramos contrários à prática dos processos em massa, que são conduzidos de forma contrária às obrigações internacionais do Egipto e ao respeito da lei”, comentou um diplomata americano, que preferiu não ser identificado.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA