UEA apontada como referência na promoção e defesa da cultura angolana

Carmo Neto, Secretário Geral da UEA (Foto: Arquivo/Lino Guimarães)
Carmo Neto, Secretário Geral da UEA (Foto: Arquivo/Lino Guimarães)
Carmo Neto, Secretário Geral da UEA (Foto: Arquivo/Lino Guimarães)

O secretário-geral da União dos Escritores Angolanos (UEA), Carmo Neto, apontou neste sábado, em Lisboa (Portugal), a instituição como uma referência na promoção e defesa da cultura angolana.

Num texto lido por ocasião do lançamento da obra “Filho Querido”, de autoria do escritor angolano Roderick Nehone, Carmo Neto afirmou que a UEA tem levado a “bom porto” à sua tarefa de promover a defesa da cultura angolana como património da Nação, estimular os trabalhos tendentes a aprofundar o estudo das tradições culturais do Povo Angolano e incrementar as relações culturais com todos os Povos do mundo.

“Desde a sua fundação, em Dezembro de 1975, a UEA sempre procurou privilegiar o sentido de cultivar a humanização das mentes”, adiantou.

Carmo Neto reafirma ser intenção de continuar a cooperar nos intentos do desenvolvimento do Universo Literatura, em que está envolvido o soberano estado do Centro de Estudos Comparatistas.

“Reafirmo a ideia de querer continuar a privilegiar a nossa relação por meio da oferta de bibliografia angolana diversa, privilegiando as obras de autores angolanos, de modo a ajudar a ampliar o diversificado património do Centro de Estudos Comparatistas”, asseverou.

Carmo Neto avança ainda que o Universo da Literatura conta com uma considerável população consumidora em Angola, que produz, lê, estuda, investiga, edita e, no capítulo de um olhar diferenciado na mesma linha recta, está também disponível para contribuir nos estudos comparatistas, pós-colonial e do diálogo entre artes, nas suas afinidades e influências. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA