Ucrânia: Donetsk critica a intenção dos EUA de unirem-se ao Quarteto da Normandia

(AP Photo/ Alexander Zemlianichenko)
(AP Photo/ Alexander Zemlianichenko)
(AP Photo/ Alexander Zemlianichenko)

O líder do Parlamento da auto-proclamada República Popular de Donetsk (RPD), Andrei Purguín, afirmou que a avidez dos EUA em expandir sua participação na aplicação dos acordos de Minsk constitui uma ingerência em assuntos alheios.

Segundo Purguín, tal comportamento prova que Washington manifesta sua presença e seu interesse bem como reconhece sua influência sobre os políticos ucranianos.

“É uma interferência impertinente dos EUA em assuntos alheios”, destacou.

Anteriormente a subsecretária de Estado para a Europa e Eurásia, Victoria Nuland, disse que os EUA buscam ampliar a sua participação na aplicação dos acordos de Minsk em conjunto com a UE e os países do “Quarteto da Normandia” (Rússia, Alemanha, França e Ucrânia).

A solução para a situação em Donbass é debatida de diversas formas, incluindo reuniões do Grupo de Contacto (composto por Rússia, Ucrânia e OSCE) em Minsk desde Setembro de 2014,onde foram aprovados três documentos que determinam as medidas para por fim ao conflito.

O documento final de 12 de Fevereiro estabelece, nomeadamente, o cessar-fogo, a retirada das armas pesadas e a criação de uma zona de segurança. No entanto nem todos os pontos estão a ser plenamente cumpridos, especialmente no que trata a trégua.

As partes em conflito seguem acusando-se mutuamente de infringirem os acordos. (sputniknews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA