Tensão em Benguela devido a protestos de ex-militares

(VOA)
(VOA)
(VOA)

Em Benguela, a Polícia interditou por algumas horas a circulação rodoviária no Largo de África, a escassos metros de um ponto de concentração de antigos integrantes das FAPLAS que diziam-se fartos de promessas de apoio do Governo que nunca chegam.

Muitos deles lembram que a guerra interrompeu a formação académica que hoje serviria de garante da sua sobrevivência.
Apesar do aparente clima de tensão, um alto responsável da Polícia preferiu não associar a presença do dispositivo da Polícia de Intervenção Rápida às reclamações dos antigos militares.

À frente do efectivo, o comandante municipal da Polícia preferiu não prestar declarações à imprensa.
Desmobilizados em 1992, quase 20 anos após o início do serviço militar, estes homens acham que só um milagre garantiria uma pensão de reforma.

Talvez por isso insistam nas chamadas ‘caleluias’, motorizadas que transportam mercadorias, prometidas há quase 10 anos.
Unânimes, os antigos militares sustentam que tais motorizadas não compensam o tempo perdido nas frentes de combate, mas ressaltam que representariam algo de novo para quem tem de suportar a fome e a falta de habitação.

Muitos veteranos insistem também que a Caixa Social das Forças Armadas está ao serviço de gente estranha ao serviço militar
O ministro da Defesa, João Lourenço, que recentemente visitou Benguela, anunciou uma limpeza na Caixa Social das Forças Armadas. (voa.com)

por João Marcos

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA