Presidente da França faz visita histórica a Cuba

O presidente francês François Hollande discursa após o desembarque no aeroporto José Marti de Havana (Foto de Adalberto Roque/AFP)
O presidente francês François Hollande discursa após o desembarque no aeroporto José Marti de Havana (Foto de Adalberto Roque/AFP)
O presidente francês François Hollande discursa após o desembarque no aeroporto José Marti de Havana (Foto de Adalberto Roque/AFP)

O presidente francês, François Hollande, desembarcou no domingo à noite em Cuba para uma visita histórica, a primeira de um chefe de Estado ocidental desde o anúncio do degelo entre a ilha e os Estados Unidos em Dezembro do ano passado.

“Venho a Cuba com muita emoção porque é a primeira vez que um presidente da República Francesa vem a Cuba”, disse Hollande em Havana.

O objectivo da visita é “que a França seja a primeira, em nome da Europa e entre os países ocidentais, a dizer aos cubanos que estamos a seu lado caso decidam superar as etapas necessárias para a abertura”, afirmou Hollande à imprensa antes de viajar para Havana.

Cuba está normalizando os laços com a União Europeia e com os Estados Unidos, mas também passa por um processo de “actualização” de sua combalida economia, herdada do período soviético.

O presidente francês tem uma reunião prevista para esta segunda-feira com o colega cubano, Raúl Castro, que sucedeu o irmão Fidel no poder em 2006. O Palácio do Eliseu também anunciou a “disponibilidade” de Hollande para um possível encontro com o líder da revolução de Cuba, o que até o momento não foi confirmado.

Hollande, primeiro presidente francês a visitar a ilha, se antecipou aos demais chefes de Estado ocidentais com a viagem oficial de um dia.

Antes de desembarcar em Havana, ele afirmou a “viagem é de algum modo histórica”, apesar dos encontros anteriores de Raúl e Fidel Castro com presidentes franceses.

“Eu mesmo encontrei com Raúl Castro na África do Sul no funeral de Mandela, em Dezembro de 2013”, recordou Hollande.

A escala em Cuba é parte de uma viagem de cinco dias pelo Caribe. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA