Presidente da Comissão Administrativa de Luanda tenciona uma gestão envolvente

JOSÉ TAVARES - PRESIDENTE DA COMISSÃO ADMINISTRATIVA DE LUANDA (Foto: Clemente Santos)

O presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda (CACL), José Tavares, reafirmou hoje o compromisso de exercer uma gestão participativa e envolvente que respeite o desejo e a necessidade da maioria na busca de melhores condições de vida dos munícipes.

JOSÉ TAVARES - PRESIDENTE DA COMISSÃO ADMINISTRATIVA DE LUANDA (Foto: Clemente Santos)
JOSÉ TAVARES – PRESIDENTE DA COMISSÃO ADMINISTRATIVA DE LUANDA (Foto: Clemente Santos)

O responsável que falava hoje quarta-feira durante o acto de abertura do Iº sessão ordinária de 2015 do conselho de auscultação e concertação social da CACL, disse que enquanto servidores públicos, com obrigações de trabalharem para a resolução dos problemas da cidade, continuarão empenhados na descoberta de melhores formas de atender as necessidades dos munícipes.

Disse que aos munícipes dedica a maior prioridade, visando oferecer bem estar e qualidade de vida,” Vamos cumprir com a nossa obrigação de informar aos nossos munícipes, com o detalhe possível e plena transparência, o essencial do que foi feito no ano de 2014, bem como o que nos propusemos a concretizar neste ano,”frisou.

Reconheceu o empenho demostrado por todos os colaboradores que conferindo as suas competências e valências tenham sido possível honrar a missão de servir o cidadão, referindo que muitas vezes em contextos bastante adversos e com inúmeras limitações de meios e recursos.

Disse que âmbito da responsabilidade de servidores públicos-municipais ao serviço de Luanda, procurou de forma afincada desenvolver o máximo esforço na solução das necessidades básicas e preocupações dos habitantes luandenses, designadamente no planeamento e gestão urbana, na prestação dos serviços municipais de saúde, destacando a área de prestação de serviços médicos em unidades especializadas no ambiente e saneamento básico.

José Tavares enumerou como iniciativas materializadas em 2014, a melhoria do abastecimento de água, energia e iluminação pública, as intervenções das vias e atenção às condições de acessibilidade e mobilidade, o aumento da oferta e qualidade de prestação serviços públicos da educação.

A intensificação do apoio social às famílias, maior enquadramentos do regime de propriedades urbanas e condições do uso da propriedade do solo, o avanço concreto das acções de planeamento e de realização da requalificação urbana com incidência para os bairros do Sambizanga, Operário, Catambor e Margoso, foram outras das acções citadas pelo presidente da Comissão de Luanda.

Neste contexto acrescenta que as acções subsequentes foram baseadas em realojamentos condignos das populações afectadas pela aberturas de vias e pela necessidade de construção de novos focos de realojamentos , decorrentes das necessidades de viabilização dos respectivos programas de intervenção urbana.

Segundo o dirigente, o CACL concebeu para o seu plano municipal de desenvolvimento 2015-2017 a fomentação do crescimento económico através dos vários ramos produtivos, proporcionando padrões de vida aos luandense com base no rendimento adequado das famílias.

Durante o encontro, com termino previsto para a tarde de hoje, serão analisados o relatório de gestão e actividades 2014, o programa de combate à pobreza, plano de actividade orçamental geral do estado (OGE), programa de educação energética e o regulamento do conselho de auscultação e concertação social.

O conselho de auscultação e concertação social é um órgão social é um órgão de apoio consultivo que tem como objectivo apoiar a Comissão Administrativa da Cidade de Luanda, na apreciação e tomada de medidas de natureza política económica e social na circunscrição. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA