Preços registam variações

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Relatório do Instituto Nacional de Estatística avança que as classes transportes e serviços diversos foram as que mais influenciaram no comportamento do mercado sobre a aquisição de vários produtos sendo que as províncias de Luanda e da Lunda Sul se apresentam como as que mais alterações observaram.

Preços registam variações

Relatório do Instituto Nacional de Estatística avança que as classes transportes e serviços diversos foram as que mais influenciaram no comportamento do mercado sobre a aquisição de vários produtos sendo que as províncias de Luanda e da Lunda Sul se apresentam como as que mais alterações observaram aumento (1,17 por cento) registado, durante o mês de Abril, na classe de transporte contribuiu, significativamente, para a subida geral de 0,71 por cento que apresentaram no mercado os produtos básicos, segundo o relatório divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Uma outra classe que também muito contribuiu no comportamento inflacionário dos preços é a de bens e serviços diversos com 1,21 por cento.

A nota divulgada no sítio da internet do INE indica que as províncias de Luanda (0,85 por cento), Lunda Sul (0,80) e Bengo (0,76) registaram os maiores aumentos. Cabinda e Moxico são as que tiveram os menores, com 0,32 e 0,44 por cento, respectivamente.

Já as classes de bebidas alcoólicas e tabaco, com 0,88 e vestuário e calçado, com 0,83, também influenciaram o aumento da inflação de Abril, lê-se no documento.

As restantes classes tiveram taxas de crescimento inferiores a 0,05 pontos percentuais.

Preços grossistas

O INE também informa que o índice de preços grossista (IPG) registou uma variação mensal de 0,73 por cento no mês de Abril.

Em relação ao período homólogo de 2014, a variação do IPG é de 6,69, o que representa uma diminuição de 0,17 pontos percentuais. Em termos de tendência, indica o INE, a taxa de inflação homóloga continua a experimentar uma desaceleração desde Maio de 2013.

Durante o mês de Abril, os preços dos produtos nacionais aumentaram em 0,53 por cento, comparados com os do mês de Março de 2015. O sector da indústria transformadora, com 0,61 por cento, teve maior aumento de preços.

De Janeiro a Abril de 2015, a variação acumulada dos produtos nacionais foi de 2,30 por cento. O INE salienta que os produtos que tiveram maior variação de preços neste grupo foram baldes com 3,32 por cento, sabonetes com 3,19, toalhas de banho e sifões com 2,96 cada.

Produtos importados

Durante o mês de Abril de 2015, os preços dos produtos importados tiveram maior aumento (0,78 por cento), em relação aos nacionais.

Os produtos para agricultura, produção animal, caça e silvicultura, com 1,02 por cento, influenciaram a subida, enquanto para os nacionais, a indústria transformadora foi a que mais contribuiu (com 0,33 pontos percentuais) para a tendência altista.

Os produtos que mais aumentaram de preço foram milho em grão, com 2,99, pera com 2,56, laranja com 1,52, flores com 1,50, ginguba com 1,30 e tomate com 1,27 por cento.

Outros produtos como alho tiveram um aumento de 1,17 por cento, ovos 0,927, maçã 0,63, limão 0,57, batata rena 0,51, cenoura 0,41, grão-de-bico 0,32, feijão-verde 0,17 e cebola 0,10.

A variação acumulada de Janeiro a Abril de 2015 foi de 2,49. A inflação global deste mesmo mês foi de 0,73, sendo a contribuição dos produtos importados a que maior participação teve, com 0,62 pontos percentuais, ou seja, cerca de 85 por cento, enquanto a contribuição dos produtos nacionais foi de 0,11 pontos percentuais, o que corresponde a 15 por cento do valor da inflação global.

Maiores contribuintes

Os produtos importados que mais contribuíram para a subida foram a cerveja (com 0,13 pontos percentuais), carapau congelado (com 0,08), automóvel ligeiro (com 0,07), frango congelado (com 0,05) e arroz branco agulha (com 0,04), entre os principais.

O Institituto Nacional de Estatística, de acordo com o seu levantamento, continua a verificar no geral uma tendência de estabilidade nos preços de oferta dos bens e serviços, sobretudo nos de produção nacional.

Quanto aos importados, que muito influenciam no comportamento da alta de preços do mercado, as perspectivas do INE vão de encontro com as do Executivo, que valoriza a implementação ininterrupta do programa de diversisificação da economia.

Para o mês de maio mantém-se a expectativas de redução dos preços de determinadas classes de produtos. (jornaldeeconomia.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA