Polícia confirma descoberta de 139 valas comuns e 28 campos de tráfico humano na Malásia

Khalid Abu Bakar, chefe da polícia malaia (Foto: EPA/FAZRY ISMAIL)
Khalid Abu Bakar, chefe da polícia malaia (Foto: EPA/FAZRY ISMAIL)
Khalid Abu Bakar, chefe da polícia malaia (Foto: EPA/FAZRY ISMAIL)

As autoridades suspeitam que as valas contenham os corpos de centenas de migrantes do Bangladesh e de Myanmar (antiga Birmânia).

Um total de 139 valas comuns e 28 campos de tráfico humano foram encontrados numa zona remota do norte da Malásia, anunciou esta segunda-feira a polícia local. “[As autoridades] encontraram o que suspeitam ser 139 valas. Não sabem quantos corpos estão dentro de cada uma”, afirmou o chefe da polícia malaia, Khalid Abu Bakar.

Segundo Khalid, o campo maior pode ter comportado até 300 pessoas. As autoridades suspeitam que as valas contenham os corpos de centenas de migrantes do Bangladesh e de Mianmar (antiga Birmânia), nomeadamente da minoria muçulmana rohingya – cerca de um milhão de pessoas, discriminados e perseguidos pelas autoridades locais de Mianmar.

As valas foram encontradas perto de uma área da Tailândia onde outras valas comuns foram encontradas já este mês, levando o país a apertar o cerco aos traficantes.

Segundo a BBC, a operação contribuiu para empurrar os imigrantes ilegais para rotas marítimas, onde milhares ficaram “presos”, sem conseguir autorização para desembarcar em nenhum país, uma crise que levou a ONU a apelar aos países da região para resolver o problema. (dn.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA