Pequim determinado a manter soberania no Mar da China Meridional

Kerry e Yang Jiechi (AFP)
Kerry e Yang Jiechi (AFP)
Kerry e Yang Jiechi (AFP)

Pequim ignorou neste sábado as advertências de Washington sobre suas manobras no Mar da China Meridional, fonte de tensões crescentes com seus vizinhos durante uma visita do secretário de Estado americano, John Kerry.

O objectivo da visita de Kerry era reiterar a oposição de Washington à construção pelo exército chinês de atóis artificiais em uma zona litigiosa no Mar da China Meridional.

“Quero reafirmar que a determinação da China de proteger (sua) soberania e (sua) integridade territorial é tão firme como uma rocha, e é inquebrantável”, declarou o ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi, à imprensa após se reunir com Kerry.

O Pentágono prevê até mesmo o envio de navios de guerra e aviões de vigilância em um raio de 12 milhas (22 quilómetros) ao redor dos atóis artificiais construídos pela China há um ano nas ilhas Spratleys.

“Através de Wang, instei a China a adoptar medidas em conformidade para reduzir as tensões e aumentar as chances de uma solução diplomática”, declarou Kerry.

As obras chinesas são realizadas no arquipélago das Spratleys, no Mar da China Meridional, reivindicadas em sua totalidade ou parcialmente pela China, Vietname, Filipinas, Brunei, Taiwan e Malásia.

Pequim também reivindica soberania sobre quase toda a enorme extensão marítima, o que é uma fonte constante de tensão com os seus vizinhos.

O traçado das fronteiras marítimas chinesas, que data de 1940, margeia as costas de seus vizinhos. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA