“Pela primeira vez no Brasil, temos gente rica assustada”, diz empresário sobre escândalos

(Reprodução/TEDx)
(Reprodução/TEDx)
(Reprodução/TEDx)

Um dos empresários mais conceituados do país, Ricardo Semler acredita que “nunca se roubou tão pouco no Brasil”. Sócio majoritário do conglomerado Semco Partners e responsável por aplicar na prática o conceito de “democracia corporativa”, o empresário afirmou, em entrevista à BBC, que os recentes escândalos de corrupção deflagrados na Petrobras e no banco HSBC mudam o perfil do Brasil por “assustar gente rica”.

“É bom ver alguns executivos de algema. Pela primeira vez no Brasil, temos gente rica assustada. Até agora, você tinha uma classe média assustada, os pobres assustados e os ricos em suas mansões e helicópteros, ou indo para a Europa. Quando o cara é notificado pela Polícia Federal para explicar o dinheiro que ele tinha para na Suíça, é um horror para essa elite e uma beleza para o país. A sensação de que ricos podem fazer qualquer coisa está fraquejando”, afirmou ele à BBC.

Feliz com a punição aos ricos, Ricardo também se diz otimista com o panorama brasileiro. Criticado por, em texto escrito para a Folha de S.Paulo, ter afirmado que “nunca se roubou tão pouco no Brasil”, ele crê na ausência da corrupção como uma evolução natural do brasileiro. Segundo o empresário, apenas a educação é o caminho para que o país se livre desse tipo de mal.

“Alguns países nórdicos e europeus têm um grau de corrupção baixo hoje, mas eram grandes corruptores no século 15, 16 ou 17. Acho que a educação faz parte desse processo. Mas é possível ser empresário honesto no Brasil. Abílio Diniz não construiu sua rede de supermercados dando propina para ninguém”, explica Semler.

Na entrevista o empresário ainda comentou a situação tributária do Brasil e afirmou que “tranquilamente” pagaria mais impostos. Para ele, “não é chocante que o Estado fique com 50% da renda” desde que seja feito bom uso desse tipo de recurso por parte dos governos. (Yahoo Notícias)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA