Pedro Filipe Soares: “O melhor para o país seria um Governo do Bloco”

(D.R)

O líder parlamentar do Bloco de Esquerda revelou que o partido tem “o repto de agir para melhorar a vida das pessoas” e que esse foi o objetivo do passado e será o do futuro.

(D.R)
(D.R)

Após um balanço das jornadas em Setúbal, Pedro Filipe Soares evidencia, em entrevista ao jornal Público, que o Bloco de Esquerda está constantemente numa espécie de pré-campanha, disputando e debatendo as ideias em que acredita.

Para o futuro, indica, há cinco diplomas fundamentais que pretendem “responder a receios” que as pessoas apresentam no dia-a-dia, como “cortes de água, cortes de luz, alimentação, coisas básicas”.

O líder parlamentar do Bloco acredita que o partido demonstrou “uma enorme combatividade”, por ter conseguido “marcar a atualidade com o debate sobre a corrupção e o enriquecimento ilícito e injustificado”. Esse “pontapé” permitiu que o tema voltasse a ser introduzido após o acórdão do Tribunal Constitucional, diz.

A violência doméstica e a tipificação da violação como crime público mostram que o Bloco de Esquerda conseguiu apresentar um “conjunto de propostas que geram muito debate e que são a nossa imagem”, sublinha Pedro Filipe Soares.

Durante os últimos anos, o Bloco focou-se na defesa de um conjunto de avanços na defesa dos direitos individuais mas o líder parlamentar revela que o partido “nunca foi monotemático” e não crê que “se possa dizer que colocou algumas causas na gaveta”. O principal objetivo é não esquecer “nenhuma das temáticas” e combater as liberdades individuais que ainda faltam debater.

O aparecimento de diversos partidos não preocupa o deputado, já que acredita que as pessoas estão “desencantadas e desencorajadas” com o sistema, por acharem que o partido ou a democracia falhou, assim o mais importante é garantir votos e perceber o que as pessoas revelam nos boletins.

“A democracia tem sido degradada por uma quebra de confiança”, pelo “conjunto de promessas feitas com a mão no peito, quer de PS ou PSD, e que depois chegam ao Governo e fazem exatamente o contrário”, o que afasta as pessoas da democracia, defende Filipe Soares.

“O que seria melhor para o país era um Governo do Bloco de Esquerda”, afirma entre alguns risos mas salientando que o partido vai a eleições “para disputar ideias que possam criar melhores soluções pós-eleitorais”. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA