Paz deve ser a bandeira de todos os angolanos – Kundi Paihama

Kundi Paihama (Foto: Edilson Domingos)
Kundi Paihama (Foto: Edilson Domingos)
Kundi Paihama (Foto: Edilson Domingos)

Os angolanos foram exortados sábado, na província do Huambo, a encarar a paz como sua bandeira, independentemente da filiação partidária e crença religiosa.

A recomendação foi feita pelo governador da província do Huambo, Kundi Paihama, durante o culto ecuménico promovido pela União das Associações Locais de Angola (Amangola), que decorreu sob o lema “Edifiquemos o país – com amor a Cristo”.

Disse que a paz, que custou muito sacrifício ao povo angolano, deve ser motivo de união em prol das acções que visam o desenvolvimento nacional, razão pela qual deve ser salvaguardada.

Kundi Paihama sublinhou que o culto ecuménico representa um verdadeiro símbolo de unidade nacional e para consolidação da paz em Angola, ao mesmo tempo que agradeceu o espírito solidário das igrejas para com a população do Huambo.

Estiveram presentes no culto, além do governador do Huambo, o presidente da Amangola, Job Castelo Capapinha, o arcebispo emérito do Huambo, dom Francisco Viti, o secretário provincial do CICA, reverendo Justino Bula, o rei do Bailundo, Ekukui V, autoridades tradicionais da Baixa de Cassanje (província de Malanje), membros do governo provincial, deputados, representantes de partidos políticos com assento parlamentar, entre outros convidados.

O evento, decorrido no pavilhão Osvaldo Serra Van-Dúnen, com a presença de milhares fiéis de várias confissões religiosas, foi antecedido de uma marcha de repúdio e descontentamento pelas acções perpetradas, recentemente, pela seita religiosa Sétimo Dia Luz do Mundo, do cidadão José Kalupeteka, que resultou na morte de 10 agentes da Polícia Nacional, sendo nove na província do Huambo e um em Benguela. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA