Passos Coelho: “PSD não deve usar Sócrates na campanha”

(DR)
(DR)
(DR)

José Sócrates, eleições legislativas e a coligação pré-eleitoral são alguns dos temas que Pedro Passos Coelho abordou na sua entrevista ao semanário SOL.

Com as eleições legislativas ‘à porta’, PSD e CDS anunciaram, no início do mês, que vão concorrer coligados.

Passos Coelho explica em entrevista ao SOL que em cima da mesa da discussão estiveram as duas hipóteses: o acordo pré-eleitoral e o acordo pós-eleitoral. “E a nossa opção foi fazer um acordo pré-eleitoral”, frisa.

Continuando no tema da coligação, o primeiro-ministro admite que “concorda com a perceção pública de que o PSD é o ‘pai tirano’ e o CDS a ‘mãe boazinha”. Mas garante que isso é algo que não o incomoda, até porque o “PSD não se importou de ser visto muitas vezes como o mau da fita”.

Sobre o sufrágio que deverá ocorrer entre final de setembro e início de março, o Chefe do Executivo alerta que é necessária uma maioria absoluta.

“Se não tivermos um Governo com maioria passaremos as passas do Algarve”, mas essa maioria, garante, não poderá passar por um acordo com o Partido Socialista.

“Não há nenhuma hipótese de um governo juntando CDS, PSD e PS poder sequer funcionar, porque os programas económicos são divergentes, os modelos económicos são diferentes. A forma como o PS vem colocando o problema económico e financeiro não é conciliável com os objetivos que temos”, explica.

Quanto à campanha eleitoral, o Chefe do Executivo é da opinião que o “PSD não deve usar Sócrates” como ‘arma de arremesso’ até porque “para nos defendermos não precisamos de atacar ninguém”. (noticiasaominuto.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA