Passos Coelho: “O que fizémos não é do PSD e CDS. É dos portugueses”

(DR)
(DR)
(DR)

No discurso em Évora, o primeiro-ministro atribuiu os esforços aos portugueses e falou do futuro do país.

Na tomada de posse dos órgãos da distrital do PSD em Évora, Passos Coelho discursou para os presente e enalteceu os sacrifícios dos portugueses ao longo dos últimos anos, explicando que o passado não deve ser colocado em causa.

“Devagar que temos pressa, temos pressa de as remover [as medidas de austeridade] mas não temos pressa de as voltar a adotar”, iniciou o primeiro-ministro. O social-democrata frisou que “ninguém quer, como no passado, baixar impostos para depois ir a correr, a seguir às eleições, aumentá-los”.

Pedro Passos Coelho mostrou não querer “um país que ande aos solavancos para trás e para a frente, com uma falta de respeito pelos cidadãos, pelos sacrifícios que fizeram”. O primeiro-ministro pretende que Portugal possa construir o futuro em cima do que foi feito nos últimos anos.

“O que conseguimos realizar não é um património do PSD nem do CDS-PP que esteve connosco nesta coligação que resgatou Portugal da bancarrota”, afirmou Passos Coelho, reforçando as relações da coligação e explicando que o grande esforço será sempre atribuído aos portugueses. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA