Passageiro angolano morre em queda de táxi em Lisboa

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Rui Dibuela, quis sair do veículo quando motorista se picou com outro condutor.

O comissário de bordo da TAAG apanhou um táxi em Lisboa para voltar ao hotel e dormir umas horas antes do voo rumo a Luanda. O avião da companhia angolana partia de manhã cedo. Mas Rui Dibuela, 22 anos, não chegou ao destino. Morreu na 2ª Circular, ao cair de um táxi. O caso está a ser investigado pela PJ, por suspeitas de homicídio. O taxista fugiu.

O crime – está em causa, pelo menos, a omissão de auxílio à vítima – ocorreu pelas 00h25 de ontem. Rui Dibuela ia no banco de trás do táxi com a namorada. O taxista picou-se com outro condutor e envolveu-se numa discussão de trânsito, com travagens e arranques bruscos. Na altura em que o táxi passava junto ao Estádio da Luz, na direção Benfica-Aeroporto, o comissário de bordo terá tentado sair, mas foi cuspido do carro e o taxista seguiu.

Aterrorizada, a mulher que seguia com a vítima só conseguiu sair do táxi um quilómetro à frente. Depois voltou a pé até junto da vítima. Rui Dibuela ainda foi transportado com vida, mas em estado crítico, para o Hospital de Santa Maria. Foi levado para a Unidade de Reanimação, mas não resistiu aos ferimentos. O óbito foi declarado às 04h00. O taxista ainda não tinha ontem sido identificado: dos testemunhos que chegaram à PSP, nenhum fornecia a matrícula do táxi. O caso foi entregue à PJ, que está a tentar aceder a câmaras da 2ª Circular. A morte deixou em choque os colegas da vítima. (cmjornal.xl.pt)

1 COMENTÁRIO

  1. lamento muito por isso do nosso ermao angolano pelo que lhe foi feito mais justiça ngolana tambem têm que ver esta situação mais breve posivel a familha em lutada meus semtimentos

DEIXE UMA RESPOSTA