ONU pede a Israel fim das construções ‘ilegais’ na Cisjordânia

(AFP)
(AFP)
(AFP)

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou nesta sexta-feira os planos “ilegais” do recém-formado governo de Israel para construir novos assentamentos em territórios palestinianos e pediu que o projecto seja abandonado.

Ban lançou este apelo depois de o Parlamento israelita ter aprovado, na quinta à tarde, a formação do novo Executivo de direita do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu – ainda mais conservador do que o anterior.

Citado por seu porta-voz, Ki-moon “condenou fortemente a continuação das actividades de repovoamento realizadas nas últimas três semanas, em três ocasiões, por parte das autoridades israelitas na Cisjordânia ocupada, incluindo Jerusalém Oriental”.

O secretário-geral da ONU “reafirma que essas implantações são ilegais para as leis internacionais e pede ao governo israelita que as abandone de imediato e revogue decisões desse tipo, em função do interesse da paz e de uma solução final justa” do conflito no Oriente Médio.

“A comunidade internacional não reconhecerá iniciativas unilaterais no terreno, e o status de Jerusalém não pode ser dirimido a não ser por meio de negociações”, completou Ban, de acordo com o comunicado.

Israel voltou a publicar ofertas para ocupar 85 casas que continuam sem comprador, em um colónia na Cisjordânia ocupada – anunciou ontem a organização Paz Agora, a qual rejeita as colonizações.

As autoridades israelitas já haviam autorizado a construção de duas séries de casas de colonos em Jerusalém Oriental, a parte palestina da cidade ocupada e anexada por Israel, totalizando 977 moradias. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA