O PT vai à TV em operação resgata-imagem

(YAHOO)
(YAHOO)
(YAHOO)

O PT vai à TV hoje durante 10 minutos com o intuito de recuperar sua imagem. Será provavelmente uma longa e árdua tarefa, do qual o programa televisivo é apenas um episódio fugaz. Em 2010, no final de 8 anos de governo Lula, quase um em cada três brasileiros (29%) se diziam simpáticos ao PT. Em abril de 2015, meia década depois, 13% diziam preferir o PT, à frente de PSDB (7%) e PMDB (6%), é verdade, mas bem menos do que antes, segundo dados do Datafolha.

A preferência ao PT evaporou em 5 anos. A popularidade do partido desabou junto com a popularidade de todo e qualquer partido político: atualmente 66% dos brasileiros rejeitam os partidos (antes eram 51%). Será a rejeição ao PT ou aos partidos em geral?

Possivelmente as duas coisas. Para muita gente, em especial os mais jovens, o PT é sinônimo de governo e de política. Sinônimo, pois, de tudo o que está errado (os serviços públicos insatisfatórios, a precariedade da saúde, o déficit de educação), ao mesmo tempo que encarnação da política, essa instituição “maléfica”.

Mesmo assim, na última eleição 11,8 milhões de pessoas votaram em deputados federais do PT, superando o PMDB (10 milhões) e PSDB (9,1 milhões). Mas esses números também declinam: o partido elegeu menos deputados agora do que em 2010. A continuar nessa toada, dificilmente a oposição perderá a próxima eleição.

O programa de PT na TV dá pouco destaque à estrela-símbolo e ao vermelho. Lembra o que o partido diz ter feito pelo país no passado recuperando imagens da campanha eleitoral de Dilma: o médico visitando famílias, o acesso à universidade, as obras de infraestrutura.

De fundamental, o PT explora na TV o gancho da luta contra PL 4330 que regulamenta a terceirização, que, na fala de Lula, se aprovado, fará o Brasil “retornar ao que era no começo do século passado…quando o trabalhador era um cidadão de terceira classe”.  A oposição ao projeto de terceirização, agora no Senado, pode ser para o PT a primeira oportunidade de uma agenda popular em muitos meses. É uma pauta que de alguma maneira concilia o partido com seu passado . Reverberará? (yahoo.com)

por Rogério Jordão

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA