No Vaticano, Raúl Castro agradece mediação do Papa para aproximação entre Cuba e EUA

Papa Francisco conversa com o presidente cubano Raúl Castro neste domingo (10), no Vaticano. (Foto: Reuters)
Papa Francisco conversa com o presidente cubano Raúl Castro neste domingo (10), no Vaticano. (Foto: Reuters)
Papa Francisco conversa com o presidente cubano Raúl Castro neste domingo (10), no Vaticano.
(Foto: Reuters)

O presidente cubano, Raúl Castro, se reuniu por cerca de uma hora na manhã deste domingo (10) com o papa Francisco. Segundo o porta-voz do Vaticano, o líder cubano agradeceu a “mediação” do Sumo Pontífice para a reaproximação entre Cuba e os Estados Unidos.

Nesta primeira visita de Castro ao Vaticano, os dois líderes apareceram juntos por cerca de um minuto e estavam sorridentes. Segundo o padre Federico Lombardi, o encontro foi “cordial” e relativamente longo no qual também foi discutida a viagem do Papa Francisco a Cuba, no mês de Setembro, antes de sua viagem aos Estados Unidos.

Houve também troca de presentes. O pontífice ofereceu uma medalha de San Martín de Tours, conhecido pela tradição cristã por ter dividido um abrigo com um mendigo. “É preciso vestir os pobres e ajudá-los”, declarou o papa para seu convidado. Outro presente foi o texto apostólico “O Evangelho da Alegria”, que é a base de seu pontificado.

Em troca, Raúl Castro ofereceu ao Papa Francisco uma obra do artista cubano Alexis Leiva Machado, que assina como Kcho, inspirado no tema da imigração de clandestinos que chegam à ilha de Lampedusa, no sul da Itália. O quadro representa uma cruz feita de barcos naufragados, explicou Lombardi.

O presidente cubano deixou o Vaticano e seguiu directo para o Palácio Chigi, sede da chefia do governo italiano, para um encontro com o primeiro-ministro, Matteo Renzi.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA