MPLA e PSD estruturam cooperação parlamentar

Mesa de conversações entre Grupo Parlamentar do MPLA e a delegação do PSD de Portugal (Foto: Clemente Dos Santos)
Mesa de conversações entre Grupo Parlamentar do MPLA e a delegação do PSD de Portugal (Foto: Clemente Dos Santos)
Mesa de conversações entre Grupo Parlamentar do MPLA e a delegação do PSD de Portugal (Foto: Clemente Dos Santos)

O Grupo Parlamentar do MPLA e a direcção do Partido Social Democrata (PSD), partidos que sustentam os governos de Angola e Portugal, manifestaram nesta terça-feira, em Luanda, desejo de estruturar uma cooperação parlamentar mais profícua entre os partidos.

A intenção foi aferida durante uma reunião do Grupo Parlamentar do MPLA, chefiado pelo seu presidente, Virgílio de Fontes Pereira, e do vice-presidente do PSD, Marcos António Costa (PSD), que chegou hoje a Luanda, para uma visita de três dias a Angola.

O dirigente do PSD considerou histórico o encontro e salientou que o mesmo vai, no futuro, permitir que os grupos parlamentares possam aproximar relações e trocar mais informação e cooperarem na produção legislativa sobre vários temas de interesse comum.

“Estamos convictos que esta visita história trará, no futuro, frutos importantes para a ralação entre os dois Estados e particularmente terão um significado importante para aproximação dos dois povos”, expressou o responsável do partido luso.

Disse ser a primeira vez que os dirigentes dos dois partidos juntam-se à mesma mesa para falar de relações institucionais, porque “o que sempre aconteceu foi uma boa relação entre governantes do MPLA e do PSD”.

Para si, além das boas relações que os governantes dos dois partidos têm, quando em funções, é necessário que os dirigentes dos dois partidos mantenham esta tradição.

Entretanto, o chefe do Grupo Parlamentar do MPLA, Virgilo Fontes Pereira, notou que as relações entre os dois estados são históricas e têm tido certa estabilidade, apesar de, num ou noutro momento, existirem percalços.

Esta estabilidade das relações com Portugal, aferiu, tem estado a um nível muito para lá das relações inter-partidárias, nomeadamente com os partidos do ardo da governação que não sejam aqueles que têm mais ligação ideológica com MPLA.

“Por isso, esta visita dos dirigentes do PSD a Angola vem dar, digamos, alguma justiça nas relações com Portugal no sentido de o MPLA poder estar também com um relacionamento mais formal com um partido que tem tido uma participação ao nível do Estado Português que não podemos desprezar”, sublinhou. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA