Ministro considera Federação dos Antigos Combatentes parceiro estratégico do Estado

CÂNDIDO PEREIRA VAN-DÚNEM MINISTRO DOS ANTIGOS COMBATENTES E VETERANOS DA PÁTRIA (Foto: Lino Guimarães)

O ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Cândido Pereira Van-Dúnem, considerou hoje, quinta-feira, em Luanda, que a federação dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria de Angola surge como um parceiro estratégico e privilegiado do Estado na busca de soluções para a dignificação social dos seus membros.

CÂNDIDO PEREIRA VAN-DÚNEM MINISTRO DOS ANTIGOS COMBATENTES E VETERANOS DA PÁTRIA (Foto: Lino Guimarães)
CÂNDIDO PEREIRA VAN-DÚNEM MINISTRO DOS ANTIGOS COMBATENTES E VETERANOS DA PÁTRIA (Foto: Lino Guimarães)

O responsável discursava na cerimónia de tomada de posse dos órgãos sociais da Federação, tento sublinhado que para desempenhar este papel, além do apoio do Estado, é necessário o empenho e dedicação da direcção, centralizando as atenções na criação de condições técnicas e organizativas que permitam a implementação do seu programa de acção em prol dos associados.

“Pois só unidos, solidários e organizados conseguiremos defender os nossos interesses e direitos, bem como preservar e promover o legado histórico da nossa luta de libertação nacional e da defesa da pátria”, disse.

Acrescentou ser necessário recorrer a unidade de todos os antigos combatentes e veteranos da pátria, em prol das ideias que norteiam a constituição da federação.

Frisou que a tomada de posse dos membros da federação é o culminar de um conjunto de acções que vinham sendo realizadas pelo Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria em colaboração com as associações.

Recordou que a Constituição da República de Angola reconhece e consagra os estatutos e o regime de protecção especial aos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria e define que compete ao Estado promover políticas que visem assegurar a integração social, económica e cultural de todos que participaram e prestaram o seu em prol da causa mais nobre e comum do povo angolano “a independência Nacional e a defesa da pátria e das conquistas duramente alcançadas”.

Por outro lado, o ministro apelou aos membros a pautarem por disciplina, espírito de colegialidade, observando os estatutos e regulamentos da Federação, as leis em vigor e instituições públicas, bem como contribuírem na elevação da consciência patriótica nacional.

Participaram da cerimónia de tomada de posse dos órgãos sociais da Federação dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria de Angola, além dos membros eleitos, responsáveis governamentais, deputados, representantes de partidos políticos, membros de associações que velam pelos direitos dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria de Angola. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA