Ministra da Cultura prestigia gala de premiação do AMA 2015

Rosa Cruz e Silva – Ministra da Cultura (Foto: Joaquina Bento/arquivo)
Rosa Cruz e Silva – Ministra da Cultura (Foto: Joaquina Bento/arquivo)
Rosa Cruz e Silva – Ministra da Cultura (Foto: Joaquina Bento/arquivo)

A ministra da cultura, Rosa Cruz e Silva, prestigiou, com a sua presença, a gala de premiação da III edição do Angola Music Awards (AMA), que decorre neste sábado, no espaço Quinteto, no município de Saurimo, província da Lunda Sul.

Acompanhada do ministro da Juventude e Desportos, dos governadores das províncias da Lunda Sul e Lunda Norte, Gonçalves Muandumba, Cândida Narciso e Ernesto Muangla, respectivamente, Rosa Cruz e Silva, assiste neste momento um espectáculo que vai marcando a gala de premiação do AMA 2015.

Em breve declarações à imprensa, logo após a sua chegada no local do evento, a ministra da cultura, afirmou que o concurso Angola Music Word (AMA), tem incentivado em grande medida os artistas Angolanos a dedicarem-se ao fundo nos seus trabalhos discográficos e nas suas composições.

“O Angola Music Word é um projecto com um futuro promissor e que está a desenvolver a bom ritmo, e o ministério da cultura vai continuar apoiar institucionalmente, e no futuro pode ser financeiramente, por formas a cativar agentes culturais a realizar eventos do género” , precisou.

A governante acrescentou que o concurso é bastante gratificante para o artista e para a cultura angolana, pois serve de avaliação do seu trabalho e como o público reage as suas obras.

Rosa Cruz e Silva disse ser missão e obrigação do ministério que dirige, impulsionar e desenvolver os todos aqueles que estejam apostados neste trabalho, visando o crescimento e desenvolvimento da cultura Angolana.

Por outro lado, a titular da pasta da cultura, defendeu a necessidade de se fazer roteiro pelo pais com eventos do género, por formas a incentivar os jovens que queiram se rever em espectáculo desta natureza, para que sejam motivados na sua criatividade e vontade de participar e desenvolver a música.

“Sempre que se faz eventos do género, dá-se sempre oportunidades aos artistas regionais, o que é um exercício louvável e obrigatório, e só a sim se pode ver o trabalho dos mesmos e reconhecidos no mercado nacional”, realçou. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA