Merkel ressalta relação especial entre Alemanha e Israel

(REUTERS)
(REUTERS)
(REUTERS)

Em evento com presidente israelita no aniversário de 50 anos de laços diplomáticos, chanceler federal afirmou que Alemanha deve dar apoio especial a israelitas. Ela também ressaltou importância de Estado palestino.

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, recebeu nesta terça-feira (12/05) o presidente de Israel, Reuven Rivlin, em Berlim, na comemoração dos 50 anos de relações diplomáticas entre os dois países.

“Acreditamos que a Alemanha deve dar apoio especial a Israel”, disse a chanceler federal. Ao mesmo tempo, ela sugeriu um Estado palestino independente como solução para o conflito em Gaza. “Queremos que todos lá vivam em paz”, ressaltou.

Falando anteriormente a um grupo de estudantes, Merkel defendeu as exportações de armas da Alemanha para Israel, argumentando que a Alemanha nazista matou 6 milhões de judeus e que, por causa disso, o país hoje tem responsabilidade especial perante Israel.

Os dois países estabeleceram formalmente relações em 1965, duas décadas após o fim da Segunda Guerra Mundial, quando a Alemanha nazista se rendeu às potências aliadas.

Rivlin chegou a Berlim na segunda-feira para uma visita de três dias à Alemanha. Ele se encontrou na segunda-feira com seu colega alemão, Joachim Gauck, e com o ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier.

Segurança de Israel é prioridade

A ministra alemã da Defesa, Ursula von der Leyen, disse durante uma visita a Jerusalém, nesta terça-feira, que o desenvolvimento da capacidade de Israel de se defender é uma prioridade para Berlim.

Após se reunir com a ministra alemã, o primeiro ministro israelita, Benjamin Netanyahu, afirmou que a “Alemanha cumpriu, com palavras e acções, seu dever em relação à segurança de Israel”.

“Com esta forte base de confiança e amizade que conseguimos, podemos discutir assuntos difíceis um com o outro”, ressaltou Ursula von der Leyen.

Nesta segunda-feira, Israel assinou um contrato com Berlim para a venda de quatro navios de guerra, numa operação estimada em 430 milhões de euros. Israel também receberá da Alemanha seis submarinos com capacidade nuclear. (dw.de)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA