Luandenses lotam Cidadela para última homenagem a Bangão

(Foto: Angop)

Com as músicas “fofucho”, “kakixaca”, “bebucho”, “sembele”, entre outras, os luandenses, na sua maioria com as vistas embaciadas de lágrimas, lotaram o pavilhão principal da Cidadela Desportiva para a última homenagem ao cantor Bernardo Jorge Correia “Bangão”.

(Foto: Angop)
(Foto: Angop)

Com lágrimas e sentimento de nostalgia, familiares, amigos, colegas, vizinhos e fãs dançavam e cantavam os sucessos que fizeram o delírio da multidão, daquele que é considerado o “professor do semba”.

Políticos, desportistas, artistas, entre outros anónimos reconheciam que o dia 21 de Maio de 2015 vai ficar indelével e será recordado com tristeza, dor e lágrimas, por o país ter perdido uma das maiores referências da música nacional.

Por cada música do artista interpretada, os especialistas dos serviços de assistência médica presentes no local eram obrigados a um esforço para chegarem as bancadas a fim de prestarem os devidos cuidados a pessoas que não aguentavam às emoções e desmaiavam face ao infortúnio.

Bangão, o artista nunca quis sair do musseque que o viu nascer, o Sambizanga, teve ainda a homenagem do grupo carnavalesco Kiela, agremiação do seu bairro, que pela sua história confunde-se com a história do Sambizanga.

Prestaram ainda homenagem ao malogrado, o governador de Luanda, Graciano Domingos, o presidente da Comissão Administrativa de Luanda, José Tavares, o presidente da UNAC, Arnaldo Calado. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA